Sindicato pede ala para presos no HMC e cita risco à sociedade

c187c39d9d6df2bae232d3cae6c74656

A criação de um espaço para o atendimento de reeducantos em UPAs, no Pronto-Socorro de Cuiabá e a construção de um espaço dentro do novo Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá (HMC) foi discutida em uma reunião entre o prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB) e a presidente do Sindspen, que representa os agentes penitenciários, Jacira Maria da Costa. O encontro aconteceu na última segunda-feira (25).

Emanuel recebeu a categoria em seu gabinete para tratar sobre a criação de um espaço adequado para o atendimento de pessoas privadas de liberdade nos estabelecimentos municipais de saúde e também da equipe que faz a escolta.

Em relação ao novo espaço no HMC, o objetivo é construir um local para concentrar o atendimento dos detentos separadamente, sem riscos de segurança para a sociedade. A presidente argumenta que encaminhar os reeducandos para UPAs dentro de bairros “fragiliza muito a segurança das unidades e coloca todo em risco”. Emanuel finalizou a reunião solicitando um relatório ao sindicato, formalizando o pedido para criação da ala e um estudo técnico para conduzir a ampliação.

Após a entrega do relatório, a gestão deve avaliar a possibilidade de incluir a demanda junto a outros projetos de inclussão no HMC previstos para 2020.

Fugas 

O encontro aconteceu após o registro de duas fugas do antigo Pronto-Socorro de Cuiabá, no bairro Bandeirantes. No sábado (23), Wadson Sales Leonel, de 23 anos, que estava internado na unidade para operar uma hérnia no umbigo, tentou fugir do local usando uma corda feita com lençóis.

O jovem, que usava uma sonda e tinha algema em uma das pernas, tentou se esconder nos fundos da Escola Estadual Antônio Cesário de Figueiredo Neto, que fica nas proximidades do hospital, mas foi recapturado pelos policiais.

Dois dias antes, em 21 de novembro, Túlio Ramos Xavier, de 29 anos, também conseguiu fugir da mesma unidade de saúde, mas ainda não foi recapturado. De acordo com informações, Túlio é membro do Comando Vermelho e foi levado para o hospital após reclamar de dores nos pés.

Quatro presos estavam internados no local e eram acompanhados por quatro servidores. Túlio teria dito que precisava ir ao banheiro e pulou a janela.

Tiroteio em UPA 

Em 13 de fevereiro de 2018, um grupo de criminosos fortemente armados invadiu a UPA Morada do Ouro e trocou tiros com policiais na tentativa de resgatar José Edmilson Bezerra Filho, que, na época, cumpria pena no Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), antigo Carumbé, e aguardava por atendimento médico na unidade.

Seis suspeitos do ataque foram presos em 24 de abril do ano passado. O ataque na UPA ocorreu no feriado de carnaval e deixou cinco pessoas feridas, dentre elas, um bebê de seis meses de idade. Três pessoas passaram por cirurgias para retirada de de projéteis.

 

Fonte: RD NEWS

Foto: Assessoria Sindspen

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *