Servidora de Leverger agride idosa e insulta vereador do município

A agressora é contratada pela secretaria municipal de saúde da prefeitura de Santo Antônio e membro da família do prefeito da cidade
Isosa agredida
Publicação2

O fim de semana foi agitado na baixada cuiabana, desta vez, uma jovem membro da família do prefeito de Santo Antônio de Leverger (35 km de Cuiabá) agrediu a idosa, Agostinha Maria de Melo Teixeira de 62 anos, na noite deste último domingo (01). As agressões partiram de Giulyana Andressa de Araújo Dias, de apenas 25 anos de idade. De acordo com informações de moradores da região, a moça é prima da sogra do prefeito da cidade.

Segundo informações que constam no boletim de ocorrências, a vítima estava sentada em sua residência, conversando com o vereador Adelmar Galio (PSDB), quando a jovem chegou proferindo ofensas e palavras de baixo calão contra o parlamentar.

“Estávamos sentados conversando na porta da minha casa, ela [Giulyana], já veio em nossa direção xingando o Adelmar, falou coisas horríveis, ela estava extremamente desequilibrada, descontrolada e agressiva. Me empurrou rasgou toda minha roupa e o tempo todo xingando o vereador de todo quanto é nome feio” afirmou dona Guta como é popularmente conhecida na região.

Em entrevista ao portal Transparência MT, Adelmar Galio relata que a suspeita quebrou seu telefone celular, no momento em que o vereador acionava apoio da Polícia Militar. “Ela chegou, proferindo insultos e ofensas contra minha pessoa, pedi para que ela se acalmasse, ela não aceitou ser chamada de senhora e por ela ser dentista, pediu que eu a tratasse de doutora, daí o timbre de voz aumentou e a agressividade também”, contou o vereador.

O parlamentar acredita que o ataque seja proveniente de uma denúncia realizada no mês de agosto, por funcionários de onde Giulyana trabalha, e na época ele tornou público os fatos.

“Acredito que esse ataque contra mim, foi motivado por uma denúncia feita por servidores da sede municipal onde ela trabalha, localizada na região central de Santo Antônio. Na época, os funcionários relataram que ela recebia uma verba indenizatória irregular do município. Por atuar em zona urbana, a dentista deveria receber R$ 550, mas estava recebendo R$ 1.100, que equivale para profissionais que trabalham na zona rural. Como membro do parlamento municipal tomei conhecimento dos fatos e dei publicidade à denúncia, só pode ser por esse o motivo a revolta dela”, afirmou Adelmar Galio consternado com a situação.

Por telefone, dona Agostinha lamentou todo o fato, com a voz embargada de choro, disse que após o acontecimento teve que ser hospitalizada.

“Fui parar no hospital com pressão alta, tenho o laudo médico, com minha pressão quase 20. Por Deus que está no céu, ninguém falou nada para essa moça agir assim, ela que veio em nossa direção furiosa, o dono da farmácia viu o momento que ela chegou na minha casa. Agora ela está distorcendo toda história, falando mentiras por aí”, completou Agostinha.

O vereador informou para equipe de reportagem, que após comparecerem no Cisc Verdão em Cuiabá, para registro da ocorrência, ambas as partes já foram intimadas, irão comparecer no dia 05/12 na delegacia e posteriormente será marcada uma audiência de conciliação.

O outro lado

A jovem que é servidora contratada pela secretaria municipal de saúde da prefeitura de Santo Antônio de Leverger relatou no B.O. que estava fazendo caminhada nas proximidades da casa de Agostinha, quando o vereador e a idosa começaram as provocações (…) e ela [Giulyana] saiu correndo.

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *