Juíza nega liberdade a jornalista acusado de estupro

8106a805-ccba-4ded-8040-24f7a3d2a087-(1)(1)

A juíza de direito em substituição legal Ana Graziela Vaz de Campos Alves Corrêa, da 2ª Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de Cuiabá, negou o pedido de revogação de prisão preventiva feito pela defesa do jornalista Leonardo Heitor, 38 anos, detido no dia 25 de novembro e recebeu a denúncia oferecida contra ele por estupro tentado, importunação sexual, ameaça, gravação não autorizada da intimidade sexual e descumprimento de medida protetiva.

A decisão da magistrada foi publicada nesta quinta-feira (19). Ela recebeu a denúncia contra Leonardo afirmando que estão “presentes os indícios suficientes da autoria” e há “prova da materialidade”.

A juíza ainda citou que foi proposto um pedido de habeas corpus em favor de Leonardo Heitor, pedindo a revogação da prisão. No entanto, ela seguiu o entendimento de que “não há fatos novos a embasar a modificação da decisão que decretou a prisão preventiva do ora denunciado, razão pela qual mantenho-a pelos seus próprios fundamentos”.
 O caso

As vítimas se uniram em um grupo, depois que uma matéria do Espírito Santo (publicada em julho e que relatava que Leonardo foi indiciado naquele estado pelas mesmas práticas) foi encontrada. De acordo com a criadora do grupo – que terá seu nome preservado – além do envio de fotos e vídeos pornográficos, há também denúncias de estupro, tentativa de estupro, ameaça e difamação.

As mulheres identificaram o jornalista, que usava o mesmo perfil ‘falso’ para entrar em contato com todas. Ele chegou a utilizar chips de Brasília e São Paulo, e enviava fotos e vídeos pornográficos, além de mensagens.

O jornalista também foi denunciado por Yuri Mariano, de Portugal, dono das fotos que Leonardo usava em seus números falsos.  Um dia após as denúncias, Leonardo foi exonerado do cargo de assessor parlamentar do deputado estadual Ulysses Moraes (DC).

Defesa de Leonardo

O ex-assessor já se manifestou sobre o caso, assumindo seus erros e pedindo perdão. Leia na íntegra:

Eu errei…
Errei diversas vezes… Errei em ser incoveniente, em abordar quem não queria ser abordada e com conversas que não deveriam ter sido sequer iniciadas…
Errei também em não me colocar no lugar das pessoas que incomodei… Errei por não imaginar que aquilo não as agradava, tornando-me apenas um incoveniente…
Errei ao expôr a mulher que eu amo e por não ter dado a ela o valor que ela merece… Errei porque não fazia o menor sentido eu ter esse tipo de conversas tendo uma mulher maravilhosa como a que ela é: linda, inteligente, hiper profissional e o principal… Ela gostava de mim…
Sou cheio de defeitos… Sempre fui… Mas nada que eu tenha vivido em meu passado justifica as abordagens que eu fiz, na minha mente, sem maldade, mas que para muitas tornou-se uma forma de assédio…
Não estou aqui para me isentar de culpa… Estou aqui para pedir perdão às pessoas que magoei… Estou aqui para me desculpar com todos que prejudiquei…
Peço perdão a todas, principalmente a mulher que eu amo… Perdão aos meus amigos que frustrei, aos colegas de trabalho, que decepcionei, e além de tudo, as mulheres que entenderam que as assediei…
Nem tudo que foi falado sobre mim condiz com a realidade dos fatos, mas quanto a isso, responderei judicialmente… Mas não cabe a mim fazer juízo neste momento… Cabe a mim, agora, continuar o tratamento que iniciei e recomeçar…
Perdi tudo… Perdi amigos e amigas, a mulher que amo, minha dignidade, meu nome, enquanto profissional, meu emprego e até mesmo minha casa…
O que me resta é pedir perdão a todas essas pessoas…
Eu errei…

Leonardo Heitor Miranda Araújo

Fonte e foto Olhar Direto

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *