Presos questionam qualidade da alimentação na PCE

e0820b423e6787d1573755e736fb5e82

Presos da Penitenciária Central do Estado relataram ao juiz Geraldo Fidelis, da Vara de Execução Penal de Cuiabá, diversos problemas relacionados à refeição servida na unidade. Conforme exposto em relatório de correição assinado no dia 16 de dezembro de 2019, reeducandos alegam que a carne é de péssima qualidade e aparência. O arroz e feijão das marmitas são entregues crus ou sem qualquer tempero.

Alimentação é fornecida por meio de contrato firmado com a empresa Vogue  Alimentação e Nutrição. Para supervisionar os alimentos entregues três vezes ao dia, Geraldo Fidelis determinou medidas.

“Desta feita, deverá a empresa Vogue, bem como, a Secretaria de Segurança Pública, através da sua Secretaria Adjunta Penitenciária, encaminhar a este Juízo os relatórios mensais de alimentação do ano de 2019 e, também, a nutricionista responsável pela unidade apresentar laudo de constatação da qualidade do alimento distribuído”, pontuou o magistrado.

A vigilância sanitária municipal deverá a cozinha da empresa, no prazo de 10 dias, para verificar condições de preparo, armazenamento e transporte do que é servido.

Casos de tuberculose

Relatório produzido sobre a PCE apontou a existência de 30 pessoas em tratamento de tuberculose. Porém, foi apontada a existência de sintomáticos da doença que não foram submetidos a teste tuberculínico.

Conforme Geraldo Fidelis, as ações de combate à doença, segundo mencionado pela equipe de saúde, consistem na realização de exames frequentes, totalizando 3,6 mil no ano de 2019.

Olhar Jurídico

Foto Marcus Mesquita/MidiaNews

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *