Seduc grava reuniões com empresários após operações de corrupção

77b3e20d0fc8445ef7e02f6aafbbb2a7

A secretaria de Estado de Educação (Seduc) passou a gravar reuniões feitas entre servidores da pasta e representantes de empresas desde o início deste ano. O objetivo é impedir que ocorram casos de corrupção, como aqueles identificados nas operações Rêmora e Fake Delivery continuem a ocorrer.

A informação foi dada ao portal de noticias RD NEWS pela secretária Marioneide Kliemaschewsk. Ela destacou que a pasta busca aplicar métodos de compliance, que é um conjunto de disciplinas utilziadas para que a instituição cumpra a legislação e evite desvios.

“A Rêmora, é muito importante frisar, financeiramente é uma operação que não chegou a gerar o transtorno que se fala por não terem sido efetivados os pagamentos. Também é importante dizer que as ações de obras passam hoje por um compliance muito intenso. Nós redobramos as situações de monitoramento e acompanhamento de todas as ações referentes a obras. É preciso dizer que existe, não só compliance, como todas as ações e diálogos com fornecedores são feitos em uma sala onde todas as reuniões são gravadas. Existe, hoje, uma equipe muito bem orientada para fazer esse diálogo e essas tratativas com as empresas”, registrou Marioneide.

A Rêmora foi deflagrada em 2016, ainda no Governo Pedro Taques (PSDB), pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco). Foram identificados desvios em licitações e contratos que totalizavam R$ 56 milhões. Efetivamente, os valores não chegaram a ser pagos ilegalmente em razão da ação do Gaeco. A Controladoria Geral do Estado (CGE) fez relatório identificando dano de cerca de R$ 400 mil.

Em agosto deste ano, a Delegacia Fazendária (Defaz) deflagrou a Operação Fake Delivery, em outro caso de corrupção identificado na Seduc. Cerca de R$ 1,1 milhão teria sido desviado em materiais que foram pagos, mas nunca teriam sido entregues para a educação indígena. O ex-adjunto da Seduc Francisvaldo Pereira de Assunção chegou a ser preso pela Defaz.

“A administração pública, de uma forma geral, ela está sujeita a esse tipo de situação, infelizmente. É importante ter clareza que na gestão do governador Mauro Mendes com a professora Marioneide à frente da pasta, nós estamos tendo muito zelo com o setor público, com a gestão pública, e principalmente, todos os servidores que por aqui passam, todos os cargos de confiança estão cientes de que é inadmissível qualquer questão de prática corruptiva dentro desta secretaria, e caso seja evidenciado, constatado, suspeitado de qualquer prática desse tipo, as consequências administrativas e jurídicas serão tomadas imediatamente”, declarou a atual secretária.

Fonte RD NEWS

Foto Rodinei Crescêncio

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *