Travesti diz que oficial da PM só queria pagar R$ 50 por 3 h de sexo

travesti.zero

A travesti agredida por um tenente-coronel da reserva remunerada da Polícia Militar, de 48 anos, durante programa sexual em motel, no Zero Km, em Várzea Grande, afirma que não extorquiu o oficial, na madrugada desta segunda (3), como consta em boletim de ocorrência e foi divulgado pela imprensa. O RD News conversou com ela, que conta outra versão dos fatos. Diz que os dois ficaram por 3 horas tendo relações sexuais e, após os serviços prestados, ele queria lhe pagar apenas R$ 50 reais.

Os nomes dos envolvidos no caso não foram divulgados por conta da lei de abuso de autoridade, que veta exposição de pessoas na condição de suspeitas.

“Fiz de tudo. Depois ele queria me dar só R$ 50. Como não aceitei, pois o meu valor seria R$ 150 a hora e por todo esse tempo daria R$ 450, ele começou a ficar nervoso e disse que eu estava tentando extorqui-lo, e me deu coronhadas com a arma dele”, detalha.

A vítima explica que não representou contra o tenente-coronel por medo, pois, depois que ela acionou a PM, o homem a ameaçou e a agrediu.

“Não tentei extorqui-lo. Isso não é verdade. Eu estava trabalhando. O boletim de ocorrência me colocou como vítima. Só não o representei por medo, pois ele tem poder”, reforça.

A vítima esclarece ainda que, antes deles terem relações, o tenente-coronel estava de fato com duas garotas de programa e não apenas uma. Mas, como não teria gostado dos serviços prestados, solicitou à recepção do motel uma travesti.

“Entrei e vi que ele estava alterado, parecia bêbado. Questionei sobre o tempo e ele disse que não tinha hora e que queria ser bem tratado, pois me pagaria bem”.

De acordo com o boletim de ocorrência (BO) toda a confusão ocorreu no motel Classe. Equipe da PM foi acionada para atender o caso de agressão e lesão corporal, tendo como autor um oficial da corporação.

Quando os policiais chegaram ao motel, o militar narrou que foi até a região do Zero e fechou o programa com uma garota. Entretanto, ao dar entrada no motel, ela teria tentado extorqui-lo, com ajuda de uma travesti, cobrando R$ 2 mil reais a mais do que o combinado.

A travesti sofreu escoriações não especificadas no BO. Precisou ser encaminhada ao Pronto-socorro de VG. Após o atendimento médico, assim como o oficial, também foi encaminhada à delegacia. Em seguida, ambos foram liberados.

Fonte RD NEWS

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *