Taques presta depoimento de 4 horas ao MP sobre esquema dos grampos ilegais

446255ba3e02243800a1295236298218

O ex-governador Pedro Taques (PSDB) prestou depoimento, de aproximadamente 4 horas, no Ministério Público Estadual (MPE), na manhã desta quinta-feira (27). A audiência é referente ao esquema de escutas clandestinas que foram praticadas antes e durante sua gestão à frente do Executivo.

A Grampolândia Pantaneira, como o processo ficou conhecido, interceptou ilegalmente dezenas de personalidades políticas, advogados, empresários e jornalistas. Policiais militares delatores do esquema apontam Pedro Taques como mandante da implantação de um escritório de escutas clandestinas para ter vantagem política.

O depoimento desta quarta-feira foi dado na sede do Ministério Público, ao promotor de Justiça Reinaldo Rodrigues de Oliveira Filho. O teor das declarações do ex-governador não foram revelados porque o processo tramita em sigilo.

Fechando o cerco

No ano passado, a Grampolândia Pantaneira condenou o coronel Zaqueu Barbosa a 8 anos de prisão por ser apontado como uma das lideranças na criação do escritório voltado para as escutas ilegais. Coronel Zaqueu foi nomeado comandante-geral da Polícia Militar na gestão Taques.

O esquema também segue sob investigação no âmbito da Polícia Civil. Também no ano passado, Pedro Taques teve outro ‘braço forte’ atingido, quando o ex-secretário de Estado de Segurança Pública, Rogers Jarbas, teve o segundo pedido de prisão feito.

Jarbas não foi preso, mas passou a usar tornozeleira – que também já foi retirada pelo MP sob argumento de constrangimento ilegal.

O pedido de prisão se baseou em dezenas de atos do ex-secretário para obstrução das investigações. O inquérito aponta que Jarbas foi escolhido a dedo para ‘blindar’ a organização criminosa chefiada por Pedro Taques e evitar que o caso das escutas clandestinas viesse à tona.

Fonte e foto: Repórter MT

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *