“Terão a cara de pau de me cassar”, afirma vereador Abílio

Screenshot_20200305-215514_Chrome

Apesar da vitória alcançada na última quarta-feira (04), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o vereador Abílio Júnior (PSC) se mostrou descrente com a possibilidade de se livrar da cassação de seu mandato.

 

Por 2 votos a 1, a CCJ emitiu um parecer pela anulação do processo contra Abílio, sob a alegação de “vícios insanáveis” no processo conduzido pela Comissão de Ética da Casa. O parlamentar responde por quebra de decoro. Na Comissão de Ética, o relatório foi pela retirada do mandato.

 

Ocorre que, o relatório da CCJ será levado, agora, para análise dos vereadores em plenário, podendo ser derrubado com 13 votos. Os parlamentares podem – mesmo com as ilegalidades apontadas pela comissão – votar pela cassação do colega.

“Acredito que os aliados do prefeito vão derrubar o parecer da CCJ e cassar nosso mandato. Acredito nisso. Acredito que eles têm a cara de pau, a coragem, de derrubar aquilo que feito dentro da legalidade e cassar nosso mandato”, disse Abílio em conversa com a imprensa.

 

Segundo o vereador, caso isso ocorra, abre margem para que ele recorra à Justiça e continue exercendo seu mandato na Capital.

 

“Só vou acionar a Justiça depois da votação. Esses vereadores serão mostrados à população. A população saberá qual o vereador quer cassar o nosso mandato e quer proteger o prefeito corrupto, que colocou dinheiro no Paletó. Só depois da votação vou entrar na Justiça”, afirmou.

 

Votos pela cassação

 

Abílio ainda levantou possíveis ilegalidades na legislação que irá amparar a votação de seu processo de cassação.

 

Segundo ele, o decreto-lei 201/67 prevê 17 votos para cassação, enquanto uma medida da Câmara de Cuiabá estabelece 13 votos pela perda de mandato.

 

“Na justiça, já há decisão do Supremo que fala que precisa de 17 votos. Esse número, eles não têm., porque 10 vereadores estão com a gente. Vão tentar me cassar com 13. Aí, nós vamos à Justiça e vamos voltar”, afirmou.

O processo deve ser colocado para votação em plenário entre quinta-feira (04) e sexta-feira (05).

Quebra de decoro

 

A Comissão de Ética propôs a cassação do mandato de Abílio por quebra de decoro. Ele teria cometido excessos, como a fiscalização realizada no Hospital São Benedito, quando era presidente da CPI da Saúde.

 

Além disso, pesa contra ele a transmissão de um vídeo onde acusa colegas de ameaçá-lo de morte.

 

A Comissão de Constituição e Justiça, entretanto, deu parecer favorável à anulação do processo. O parecer do vereador Wilson Kero Kero (PSL) apontou que o processo tem “irregularidades insanáveis”, uma vez que, entre outros motivos, o vereador não foi notificado.

 

Ainda segundo Kero Kero, esta irregularidade, ao que aponta o relatório, traz “nulidades insanáveis”, afastando todas as demais acusações.

 

Fonte: Mídia News

Foto: Victor Ostetti/MidiaNews

 

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *