Caso não reverta cassação, Abílio pode virar youtuber para fiscalizar prefeito

Screenshot_20200307-122450_Facebook

vereador Abílio Júnior (PSC), que teve o mandato cassado por quebra de decoro parlamentar na sexta-feira (06), ficando inelegível por 8 anos, disse que ainda vai decidir se acionará à Justiça para tentar reverter a decisão da Câmara de Cuiabá. Por outro lado, caso fique fora do Legislativo, não descartou a possibilidade de virar youtuber e continuar fiscalizando o Prefeito de Cuiabá.

Abílio disse que não estava preocupado em  manter o cargo, mas, sim, mostrar para população quem eram os parlamentares que votaram contra ele e, futuramente, com objetivo de tirá-los da Câmara Municipal.

“A estratégia era expor eles, conseguimos. Está aí separado o joio do trigo, a população vai saber identificar quem é que está com paletó e quem que não está. A população vai saber escolher melhor nas urnas esse ano, a gente já conseguiu e o mais incrível é que o cassado sou eu, mas quem é que está triste são eles”, disse Abílio.

“Eu entrei num lugar que eu não tenho certeza se eu volto ou não, mas o meu propósito desde o início não era voltar ou sair, o meu propósito é tirar eles. É diferente, não estou preocupado se volto para Câmara ou não, estou querendo tirar eles, essa é minha estratégia”, complementou.

Na sessão extraordinária, os vereadores, por maioria, aprovaram o parecer da Comissão de Ética que pedia a cassação do vereador e reprovaram o relatório da Comissão de Constituição, Justiça e Redação que manifestou pelo arquivamento do processo.

Como Abílio está inelegível, os planos que ele havia lançado como pré-candidato a prefeito de Cuiabá.

“Saber que eu posso tirar o Juca do Guaraná daqui, o Misael [Galvão, presidente da Câmara], o Marcrean [Santos], o [Ricardo] Saad, o Toninho [de Souza], cara isso me alegra muito porque consigo mostrar para população quem são esses caras e quando tempo eles vêm se reelegendo e quando tempo eles usam os candidatos bons em partidos tentando usar eles como escada e estão aqui de volta. Nós precisamos tirar esses caras”, ressaltou.

O social cristão disse que após a publicação de sua cassação no Diário Oficial irá se reunir com seus advogados para discutir medidas jurídicas para tentar reverter a cassação na Justiça, no entanto, ele garantiu que estará no Legislativo na próxima semana para acompanhar do seu suplente, Oséas Machado, que foi autor da representação que pediu a cassação de Abílio.

“Agora, vamos preparar nossa tese jurídica, conversar com nossos assessores, esperar o presidente publicar a ata da sessão para depois vir aqui e eu ainda pretendo vir na posse do vereador Oséas Machado que deve ser terça-feira. Vou acompanhar a posse dele, até porque ele é vereador do meu partido, que pretendo expulsar logo, logo, mas vou vir na posse dele aqui para dar uma olhadinha na cara dele e dar um sorriso”, ironizou.

Votos surpresas 

O vereador cassado disse que ficou surpreso com a abstenção de Clebinho Borges na votação do parecer da CCJR, mas declarou que o voto fundamental para sua cassação foi de Marcrean Santos.

“O Marcrean foi fundamental para minha cassação, foi fundamental. Se ele se abstém ou não vota tinha anulado o processo, então como o Marcrean optou por votar deu esse resultado”, comentou.

Profissão: youtuber 

Questionado sobre o futuro, Abílio disse que pretende continuar fiscalizando o Executivo e o Legislativo municipal e realizando denúncias, no entanto, brincou comentando que espera não ter as redes sociais apagadas que, agora, pode se tornar um youtuber.

“Eu espero que eles não apaguem o meu Facebook, nem o meu YouTube, o meu Instagram, posso ser um youtuber de repente, tem várias outras coisas, apesar de tudo sou arquiteto e urbanista, estudei cinco anos e tem muito espaço para trabalhar nisso e aprendi fiscalizar pela lei de acesso à informação e essa lei tem me ajudado muito mais que a Câmara Municipal. Vou continuar fiscalizando, fazendo denúncias”, garantiu.

 

Fonte: Repórter MT

Foto: Reprodução

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *