“Situação é grave e indica dias difíceis”, diz secretário de Saúde

Screenshot_20200321-002547_Facebook

A situação é grave e não é uma brincadeira. Tudo indica dias difíceis e isso não vai passar rápido”, afirmou o secretário de saúde do Estado, Gilberto Figueiredo em entrevista à TVCA na manhã desta sexta (20). Ele não acredita que as aulas voltem em 2 semanas e diz que não é otimista. “Melhor ser franco com a população e tomar as medidas necessárias”. O que se fala, segundo o secretário, é uma crise epidêmica do coronavírus para os próximos 90 dias.

 

Como a recomendação é de isolamento para conter o avanço da doença que tem fácil transmissão, estão previstas mudanças no atendimento em órgãos públicos e empresas privadas. O Poder Público tem evitado a tomada de decisões radicais como o fechamento do comércio, mas não descarta a possibilidade.

Escolas já estão com aulas suspensas e a preocupação do secretário é com aqueles profissionais pais e mães que estão em áreas essenciais, como saúde e segurança pública. Nesse sentido, ele fez um apelo para que a comunidade de amigos, vizinhos e parentes desses profissionais sejam solidários. “Decisões mais difíceis ainda não foram tomadas porque podem estressar a população que em momentos críticos podem não colaborar mais. Todo sacrifício que fizermos agora, ainda que seja no campo comercial, fechando, será benéfico”.

Quanto ao retorno das aulas e livre circulação de pessoas em espaços públicos e de lazer, o secretário afirma que “as pessoas vão ter tempo de voltar a estudar, trabalhar, passear, mas para isso precisam estar vivas. O isolamento e os cuidados com a higiene são vitais agora”.

 

Manter distância, evitar aglomerações e lavar bem as mãos têm sido os cuidados mais eficientes para ser contaminado. Quem tiver sintomas, só deve procurar uma unidade de saúde no caso de apresentar falta de ar o principal. Apenas mal-estar, tosse e coriza não são sinais de agravamento da doença.

Também não se deve procurar as Unidades de Pronto Atendimentos, as UPAs, nem hospitais de referência se não tiver todos os sintomas. As unidades básicas farão a triagem e vão encaminhar os casos mais graves.

Enquanto for possível, o secretário recomenda que a população planeje de modo individual e familiar como deve ser a rotina. Isso inclui cuidados com crianças e idosos, questões bancárias e financeiras.

Vacinação para outras gripes

Está prevista uma campanha de imunização no dia 23 de março para outras gripes e deve atingir 900 mil pessoas em Mato Grosso. “Deixamos claro que a população não deve procurar o sistema de saúde se não for o público de risco, pois temos mais de 3 milhões de habitantes e não serão todos imunizados”.

Serão vacinados somente profissionais da saúde e pessoas do grupo de risco (idosos e pessoas com doenças pulmonares).

 

Fonte: RD News

Foto: Christiano Antonucci Secom-MT

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *