Abrigo de idosos sofre com perda de doações; veja como ajudar

Screenshot_20200322-164232_Facebook

O Abrigo Bom Jesus de Cuiabá está fazendo um apelo à sociedade para que as doações não parem, mesmo em tempos de epidemia. Segundo a conselheira e voluntária do abrigo, Márcia Ferreira, as visitas foram suspensas por recomendação do Ministério Público, o que acarretou numa queda na arrecadação de doações.

 

Em entrevista ao site Olhar Direto, Márcia disse que depois da suspensão das visitas, as pessoas pararam de trazer as doações que costumavam trazer diariamente. “Atendendo as orientações do Ministério Público, ficaram suspensas as visitas aos idosos por conta da propagação do vírus. Com isso, as pessoas deixaram de levar suas doações rotineiras e o abrigo recebe muitas doações para sobreviver. Com as visitas suspensas as doações pararam entao nós estamos pedindo a sociedade que se possível faça doações para gente”, pede a voluntária.

Segundo Márcia, a população é a maior responsável pela sobrevivência do abrigo, que não recebe dinheiro público para se manter funcionando. “O Abrigo Bom Jesus de Cuiabá é uma entidade que completa 80 anos neste ano, e foi criada pela Dona Maria Muller quando seu marido, Filinto Muller, era governador de Mato Grosso. Desde então, o abrigo vêm sobrevivendo com doações da população e trabalho de voluntários”, conta.

“Hoje nós temos cerca de 70 idosos no abrigo que foram acolhidos sem ajuda do estado, apenas da sociedade, por isso precisamos que mesmo com as visitas suspensas as doações não parem” pede a voluntária.

 

Veja lista de produtos para doar ao abrigo e ajudar:

– Gaze
– Álcool 70%
– Pomadas contra assadura
– Pomadas de colágeno
– Soro fisiológico

Apesar da suspensão das visitas aos idosos, o abrigo continua aberto para receber doações e também realizará a coleta de doadores que não puderem levar até o abrigo.

 

Os interessados em colaborar devem entrar em contato pelos telefones (65) 3644-1706 ou (65) 99647-3064.

 

Fonte Olhar Direto

Foto: Wesley Santiago

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *