Com impacto do coronavírus, ovos tem aumento de 15%

Screenshot_20200330-191820_Facebook

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) disponibilizou nesse sábado um boletim que avaliou o impacto do coronavírus no agro na última semana. Entre 23 e 27 de março as principais altas foram registadas altas nos setores de ovos e ração animal. As quedas ficaram por conta das frutas e hortaliças, plantas e flores ornamentais e aquicultura, com ênfase no camarão.

 

Os ovos chamaram atenção pela valorização significativa no mês de março. Segundo as informações da CNA, uma alta de mais de 15% teria sido repassada ao consumidor. A crescente demanda teria contribuído para a valorização diária.

 

A ração animal (composta por soja e milho) está 19% mais cara em relação ao mês anterior e tem sido uma preocupação para os pecuaristas. A alta no preço da ração é consequência da valorização da matéria prima do produto.

 

Já o setor de frutas e hortaliças foi um dos mais atingidos pela crise. O fechamento de bares, restaurantes e feiras-livres diminuiu significativamente a demanda por esses produtos. O tomate, que já registrava queda desde a semana anterior, teve 37% de baixa no preço.

 

As exportações também se revelaram um grande problema para os agricultores, já que a maior parte das exportações de frutas e hortaliças era feita por voos de passageiros que estão praticamente indisponíveis no momento.

 

Em contrapartida, a CNA divulgou que tem atuado para ampliar as compras governamentais e também as de grandes redes varejistas, além de buscar alternativas para a venda online desses produtos pelas cooperativas e produtores rurais.

 

O setor de flores e plantas ornamentais também se destacou pela queda. A redução drástica na compra desses produtos já provocou um déficit estimado de R$297,7 milhões. A Confederação destacou que o setor gera mais de um milhão de empregos, diretos e indiretos, e que a situação pode se agravar dependendo da duração da quarentena.

 

Sofreu impacto também o camarão devido ao fechamento de restaurantes. A resposta da CNA foi buscar os grandes comércios varejistas do País. Segundo o boletim a ação já teve resultados e os estabelecimentos começaram a ampliar os pedidos de compra do produto.

 

Em relação às commodities agrícolas, como milho, soja e café houve valorização devido à demanda aquecida, estoques baixos e manutenção do câmbio alto. Em relação ao etanol, os preços se mantiveram estáveis, com perspectiva de queda pela variação da demanda.

 

A Confederação de Agricultura e Pecuária no Brasil enfatizou também que as medidas sanitárias já estão sendo tomadas em preparo à colheita de café e cana. Redução do número de trabalhadores nos ônibus, ampliação do horário de funcionamento dos refeitórios e orientações sobre higiene individual e frequente foram algumas das medidas adotadas em prevenção ao Covid-19.

 

Fonte: Hipernotícias

Foto: Luiz Agner/IBGE

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *