Em Cuiabá, o comércio permanece fechado até dia 21 de abril

Screenshot_20200405-144839_Facebook

Em comunicado via Facebook, neste último sábado  (04), o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), anunciou que as medidas restritivas sociais e econômicas em relação a pandemia do coronavírus serão prorrogadas até o dia 21 de abril. Além de manter o fechamento da maioria do comércio, o prefeito anunciou a criação de um grupo que analisará semanalmente a implantação ou não de um rodízio de veículos e toque de recolher em toda cidade ou por regiões para evitar a propagação da doença.

Ao mesmo tempo, o prefeito anunciou que as unidades públicas de ensino municipal seguirão fechadas até no dia 06 de maio. Já o sistema de transporte coletivo, segue com 30%.

No entanto, a partir de agora, 10% exclusivamente serão para profissionais da saúde e outros 20% para usuários que comprovem trabalhar em atividades essenciais. Um fiscal da prefeitura estará em cada veículo acompanhando os passageiros, sendo que os ônibus só poderão ter 50% da capacidade e limpos.

Dos oito decretos baixados inicialmente, o prefeito decidiu unificá-los em apenas dois. “”Vivemos numa direção porque a pandemia atinge a todos. Não escolhe sexo, idade, faixa de renda e social. É praticamente universal e precisamos preservar os grupos de risco, mas também toda sociedade para que isso não se alastre. Existem pessoas assintomáticas como as crianças. Temos que achatar a curva e tirar Cuiabá da ascensão”, explicou o gestor.

O prefeito reconheceu que tem adotado medidas em excesso. “As medidas são extremamentes necessárias. Posso pecar por excesso e não por omissão. Sei a responsabilidade e tomo decisões com o coração na ponta da caneta. Atividade econômica a gente recupera. Os empreendedores passam por dificuldades. Temos que recuar para avançar. Promover o liberou geral é muita irresponsabilidade porque isso não vai garantir que a sociedade vai frequentar os estabelecimentos”, analiou.

Segundo o prefeito, após a pandemia, a atividade econômica será recuperada. “Vamos recuperar a economia com bravura. A vida só tem uma e ela é insubstituível. Todos precisam colaborar neste momento para superar esta tempestade que é passageira e chegaremos lá na frente muito maiores”, diz, ao reconhecer que “as mudanças cansam e stressam, mas é um sacrifício que temos que passar. Fique em casa por você e por nós! Só saia quando necessário”.

 

A partir de agora, as medidas de combate ao Covid-19 serão anunciadas a cada 15 dias. “As medidas tem sido tomadas em critérios científicos baseados na OMS e Ministério da Saúde. Estamos acompanhando as eficácia das medidas para conter a escalada do vírus. Não vai adiantar pressões políticas ou pessoais. As carreatas estão proibidas. O momento é de colaboração e compreensão de todos. Ouvi a todos e fui ouvido e assim vou continuar sempre de forma transparente e respeitosa”, destacou, ao considerar que 1/3 da população do Estado está concentrada em Cuiabá e medidas paliativas poderiam representar uma tragédia.

RELAXAMENTO E MILÃO

Durante a transmissão, o prefeito reconheceu que houve falha na última semana em relação a prevenção ao coronavírus. “O resultado é positivo e não o ideal porque na última semana teve um relaxamento da população”, afirmou, ao criticar alguns segmentos econômicos que contrariaram as normas.

Emanuel citou um relatório que aponta que Cuiabá tem está controlando a evolução da doença em comparação com outras cidades e países. “A curva da epidemia mostra uma elevação com a curva do Brasil em rápida ascensão. Após o dia 20, a curva decaiu ficando abaixo da curva do Brasil e abaixo da Itália. Isto mostra a efetividade das ações tomadas pela prefeitura para o bem estar da população”, sintetizou, ao avisar que os casos seriam maior e teriam ocorrido antes se as medidas de restrição duras não tivessem sido tomadas.

Emanuel garantiu que não permitirá que a cidade tenha uma situação a cidade de Milão, na Itália, onde centenas de moradores já morreram por conta da pandemia. “Itália não fez o dever de casa e não deixarei Cuiabá ser uma nova Milão. Para isso, preciso da compreensão de todos”, implorou.

 

PRINCIPAIS MEDIDAS

– Aulas em creches, escolas e CMEIs continuam suspensas de 6 de abril até 10 de maio. Recomenda que as unidades privadas que acompanhem as medidas. Merenda continuará sendo doada para todos alunos em vulnerabilidade social da rede municipal de ensino. Dos 54 mil alunos, 18 mil estão recebendo alimentação gratuita. Parte das escolas terá aulas on-line. 

– As unidades sociais terão atendimento individualizado. São os abrigos, alberegues e restaurante popular, que entregará marmitex para moradores de rua. Ficam suspensas as atividades em grupo de 6 de abril a 10 de maio. Ficam suspensos os programas Siminina, dentre outros.

– Passe livre, tarifa social e cartão melhor idade seguem suspensos até 6 de maio. Perícias terão validade prorrogada por mais 60 dias. Pagamentos de taxas de taxistas e motoristas estão liberando normais sanitárias e ficam sem pagar 90 dias sem pagar taxas. Todas estações de ônibus seguem fechadas e, mesmo assim, serão higienizadas.

– Ônibus circularão 30%, sendo 10% exclusivamente para os profissionais da rede de saúde pública e privada. Já outros 20% só para usuários que comprovem atividades consideradas essenciais. Os veículos terão que ter álcool em gel, higienização e lotação máxima de 50% da capacidade. Terá um fiscal dentro de cada veículo para cobrar identificação dos passageiros, bem como as medidas de higiene.

– Verificação da necessidade ou não de rodízio de veículos e toque de recolher, que pode ser geral ou por região. A análise sobre a decisão será semana a semana.

– Upa Verdão será unidade de apoio aos hospitais no combate ao coronavírus

– Hospital Municipal e pronto-socorro seguem como unidade de referência de combate a doença

– Ficam suspensas férias dos servidores da secretaria de Saúde, sendo que exceções terão que ser analisadas

– Todas campanhas publicitárias serão para o coronavírus nos próximos 30 dias

– Até terça-feira, medidas econômicas serão tomadas para rebater a crise econômica

– Segue o teletrabalho dos servidores de Cuiabá

– Fica determinado de 6 de abril a 21 de abril o fechamento de hoteis, bares, restaurantes, academias, shoppings, feiras livres e eventos que ensejam aglomeração de pessoas

– Liberação para mercados trabalharem todos dias das 8h00 às 19h00

– Conveniências terão que funcionar até 19h00 sem aglomerações e feriados até às 13h00

– Bancos, casas lotéricas terão que deixar entrar um cliente por vez com distância mínima de dois metros entre uma pessoa e outra

– Empresários podem colocar funcionários em casa por 14 dias em caso de sintomas da Covid-19

– Será elaborado um plano estratégico para retomada econômica de Cuaibá após a pandemia.

 

Fonte Folhamax

Foto Reprodução

 

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *