Delegado investiga venda de drogas por delivery durante pandemia

Screenshot_20200407-204608_Chrome

O delegado titular da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, disse que diante da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), foi percebida uma redução em grande parte das incidências criminais. Entretanto, esse fato não ocorreu em relação ao tráfico de drogas, uma vez que diante do isolamento social, a tendência é que o dependente continue em busca de entorpecentes.

“A ociosidade por parte do usuário aumenta o desejo pelo consumo de drogas, e o comércio ilícito é facilitado pelo fato de alguns traficantes atuarem pelo sistema delivery. A DRE está atenta a situação, monitorando suspeitos e checando denúncias nesse sentido”, disse o delegado.

A DRE atua no combate ao comércio de drogas, seja o tráfico doméstico (desenvolvido em pequenas bocas de fumo em bairros) ou em investigações mais complexas como as de tráfico interestadual que movimenta grandes quantidades de substâncias ilícitas.

Com base neste plano operacional, a especializada fechou o primeiro trimestre de 2020 com 52 pessoas presas e 211 inquéritos policiais concluídos. As ações realizadas entre janeiro e março deste ano, resultaram ainda na apreensão de aproximadamente 35 quilos de drogas entre maconha (18,6 kg), cocaína (5,3 kg) e outras substâncias (10,5kg), além da apreensão de 16 veículos (carros e motocicletas), 13 armas de fogo e diversos apetrechos relacionados ao trafico e objetos de origem ilícita.

O delegado ressaltou ainda que todo resultado se deve a união e empenho dos policiais, escrivães e investigadores, que mesmo nesse período de isolamento não medem esforços para estar na rua, investigando, identificando e prendendo envolvidos com o tráfico de drogas.

Outro trabalho realizado pela DRE no primeiro trimestre de 2020 foi a incineração de mais de 1,6 mil quilos de drogas apreendidos pela equipe da Delegacia Especializada de Trânsito (Deletran), próximo ao Rio dos Couros, na zona rural de Cuiabá. O grande carregamento de entorpecente, apreendido no dia 11 de março, estava camuflado em um caminhão.

A incineração da droga foi realizada pela DRE após autorização da Justiça. Vitor Hugo Teixeira explica que a destruição imediata do carregamento de maconha era essencial em razão da grande quantidade de droga e do alto valor da mercadoria ilícita.

 

Fonte: Olhar Direto

Foto: Reprodução

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *