Sandro Louco lidera tentativa de fuga e Justiça determina transferência emergencial

Screenshot_20200416-085357_Facebook

Justiça determina transferência emergencial do líder da facção criminosa Comando Vermelho de Mato Grosso, Sandro da Silva Rabelo, o “Sandro Louco”, para a Penitenciária Federal de Segurança Máxima de Catandúvas (PR), após duas tentativas de fuga da Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá, em menos de três meses. A primeira tentativa de fuga frustrada aconteceu em dezembro de 2019. A segunda, que de acordo com o setor de inteligência do sistema penitenciário seria uma fuga em massa, ocorreu no dia 11 de março deste ano. Nesta ocasião, grades da cela onde o criminoso estava, junto com outros líderes do CVMT, já estavam cerradas e carros, que dariam fuga aos bandidos, foram apreendidos do lado de fora da PCE.

 

Apesar de a decisão destacar a necessidade de transferência emergencial, e o sistema prisional federal já ter até indicado para qual unidade ele deve ir, até o momento Sandro Louco continua em Mato Grosso.

 

Sandro Louco possui condenações que somam 205 anos e 9 meses de prisão pelos crimes de desacato, falsificação, roubo, homicídio, latrocínio, sequestro e cárcere privado e posse ou porte de arma de fogo.

 

De acordo com a decisão judicial, no dia 12 de março a direção da PCE fez o pedido de transferência do chefe da facção criminosa mais atuante em Mato Grosso. “Após levantamento da equipe de Inteligência da Polícia Penal, verificou-se uma possível fuga no Raio 05, desta forma, as equipes da Penitenciária Central juntamente com a equipe do GIR realizaram revistas minuciosas no referido raio. Logrando êxito na descoberta de várias celas cerradas. E que na data de ontem 11/03/2020 em revista no Raio 05A03, onde estavam alocados os reeducandos Sandro da Silva Rabelo e Leonardo dos Santos Pires. Diante do fato, os reeducandos foram realizados em outro local e o cubículo fora isolado para que a Politec realizasse perícia técnica no local”, diz trecho do pedido de transferência.

 

A Secretaria de Segurança Pública destacou que, de acordo com relatório de inteligência, Sandro Louco é um dos presos de maior periculosidade do Estado de Mato Grosso, que é membro integrante da organização criminosa Comando Vermelho, passou por diversas unidades prisionais de Mato Grosso, onde liderou motins, rebeliões e também empreendeu fugas.

 

Em reunião realizada pelo colegiado de juízes sorteados para decidir sobre o pedido, foi determinada a transferência.

 

Os magistrados destacaram que Sandro Louco não é apenas um integrante do CVMT, mas o principal líder da organização criminosa. Que a tentativa de fuga ocorreu na área prisional de maior segurança no Estado de Mato Grosso, que é o Raio 5 da PCE. “Neste ponto, a permanência do reeducando na Penitenciária Central do Estado coloca em risco a ordem pública, já que, mesmo recolhido no sistema penitenciário federal por extenso período, uma vez no sistema penitenciário estadual, o penitente não se rogou em tentar fuga por duas oportunidades… Grades foram cerradas, veículos para a fuga foram apreendidos, o que evidencia um grande planejamento para uma fuga em massa, a partir da área em que o reeducando Sandro da Silva Rabelo e outros líderes do Comando Vermelho estavam reclusos”.

 

 

Os juízes enfatizam que Sandro Louco tem papel relevante no “Conselho Final” da facção Comando Vermelho MT, sendo o principal líder da organização que encomenda e realiza crimes dentro e fora do ambiente carcerário.

 

“Cumpre salientar ainda que a transferência para o sistema penitenciário federal deverá ser emergencial ante a extrema necessidade revelada pela participação do penitente em vários crimes, trazendo a lume articulação entre outras penitenciárias. Além disso, é fundamental tal providencia para que a ação de transferência seja efetuada de forma a não causar motins ou rebeliões na unidade prisional”.

 

O despacho ainda cita que as unidades prisionais de Mato Grosso “estão superlotadas, com total falta de segurança, uma vez que não mais atende à finalidade de custodiar presos de alta periculosidade e elevado potencial ofensivo”.

 

“Diante do exposto, considerando a fragilidade do sistema prisional deste Estado, que está desprovido de segurança compatível com periculosidade do ora apenado e, tendo em vista o tráfico de influência que exerce ante aos demais sentenciados, em consonância com o parecer ministerial, por maioria, acolhemos o pedido formulado pela Secretaria de Segurança Pública e requeremos ao Juiz Federal Corregedor do Presídio a ser indicado pelo Depen, inclusão emergencial do reeducando Sandro da Silva Rabelo para que permaneça por anos naquela unidade prisional”.

 

Fonte: Repórter MT

Foto: Reprodução

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *