Com salários atrasados, servidores pedem socorro em Santo Antônio de Leverger

REDE SOCIAL

Com atraso nos salários que completará dois meses na próxima quinta-feira (30), os servidores efetivos, contratados e comissionados de Santo Antônio de Leverger, estão desesperados e pedem socorro para o Poder Público e à população do município.

No último fim de semana, o assessor jurídico do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SISPUMSAL), o doutor Claudio Mamore, publicou em sua rede social Facebook, um pedido de ajuda para o povo santo-antoniense. Na publicação, ele solicita que os moradores realizem doações para os servidores que estão enfrentando dificuldades financeiras.

“Sem salário há alguns meses, sem alimento e sem poder pedir o vale alimentação aos conveniados junto ao sindicato, por falta de credibilidade e por falta de repasse dos valores descontados em folha, os servidores municipais estão passando necessidade alimentar. Devo destacar, que o salário é garantia da sobrevivência dos servidores (…) diminuindo a sua capacidade de alimentação, estão diminuindo a sua capacidade de sobrevivência. Considerando que o Poder Executivo Municipal, ao reter abusivamente o salário destes servidores, afronta a proteção constitucional à saúde, à vida e à dignidade da pessoa humana, primazia sobre princípios de direito financeiro e administrativo”, destacou o advogado.

Por telefone, o presidente do SISPUMSAL, Guilherme Rodrigues, confirmou à nossa equipe de reportagem que os trabalhadores municipais estão sem receber os salários, e ressalta que o sindicato está em situação complicada, isso porque, alguns convênios com os supermercados e farmácias, estão suspensos por falta de pagamento. “Já solicitei ao nosso assessor jurídico que entre na justiça com pedido de bloqueio das contas da prefeitura, para garantir a prioridade no pagamento dos servidores e efetuem corretamente o repasse ao sindicato. Gostaria de fazer um apelo ao prefeito, que ele se sensibilize e pague os salários destes servidores que precisam de alimentos para o sustento de suas famílias”, suplicou Guilherme.

Segundo uma servidora contratada que também está sem o pagamento e não quis se identificar, os poucos alimentos que ela tem em casa estão sendo doados por familiares e amigos. “Eu estou pedindo socorro mesmo. Não temos o que comer aqui em casa. Preciso de dinheiro para comprar comida para os meus filhos. A fome não espera. Pedimos providências dos órgãos competentes que encontrem alguma solução para esse atraso que já vai entrar no segundo mês. O prefeito não se manifesta, não diz nada. Precisamos do nosso salário porque trabalhamos por ele”, comentou a trabalhadora.

Buscando confirmações sobre o caso, nossa equipe ouviu relatos de munícipes que confirmaram a falta de pagamento dos salários dos trabalhadores municipais, dentre eles, o vereador Adelmar Galio (Pros) que lamentou a situação caótica no município. “É lamentável essa situação, é nítida a falta de sensibilidade e responsabilidade da atual gestão, com essas centenas de famílias que estão desesperadas sem ter o que comer em casa. Sem falar que essa falta de repasse ao sindicato é um crime que o prefeito está cometendo, caracteriza improbidade administrativa. São inúmeros os questionamentos que quero fazer ao prefeito, mas um deles é: o que ele está fazendo com os recursos do Fundeb? Onde estão sendo aplicadas estas verbas?”, questionou Adelmar.

Em entrevista, o vereador Denis Pinheiro (Pros), também destacou a falta de compromisso da atual administração, com os servidores públicos municipais. “Fico muito triste com essa situação, tantas famílias passando necessidade por culpa dessa má gestão em nosso município. Outro fato que me deixa estarrecido é que nesse momento o prefeito deveria buscar soluções para amparar as famílias e decide demitir, ele exonerou dezenas de trabalhadores. Isso é desumano. Em minha última pesquisa, vi que a arrecadação do município não caiu, então, não havia necessidade de demitir e muito menos atrasar os salários”, enfatizou Denis.

Outro Lado:

A assessoria de imprensa da prefeitura de Santo Antônio de Leverger, informou que as declarações feitas pelo assessor jurídico do SISPUMSAL, são falsas e que os salários dos profissionais efetivos estão sendo pagos em dia. “Essa notícia não procede, essa notícia é fake”, afirmou Marcos Felipe, assessor de imprensa, através do whatsapp.

Serviço:

 O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santo Antônio de Leverger (SISPUMSAL), devidamente inscrito no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ/MF) nº. 10.778.490/0001-05, informa que quem puder ajudar os servidores municipais com alimentos e produtos de higiene e limpeza favor entrar em contato nos telefones: (65) 99604-3900 / (65) 9994-9847 / (6)5 99343-7963. Se preferir efetuar doações em dinheiro, a quantia pode ser enviada para Agência: 3943-8; Conta Corrente: 9139-1; Banco do Brasil.

Anúncio

Um comentário

  • Dr Claudio Mamoré

    27 de abril de 2020 at 15:30

    Em resposta ao relato do senhor Marcos Felipe, no tocante aos proventos dos servidores que se encontra em dias, e que as minhas palavras são Fake, gostaria que o mesmo viesse junto à mídia com os demonstrativos de pagamento DE TODOS OS SERVIDORES PUBLICO TANTO EFETIVOS QUANTO AOS CONTRATADOS, referente aos meses de fevereiro e março de 2020, e se ficar totalmente comprovado o pagamento de todos os servidores e que a gestão publica mantém em dias o salário de todos os servidores, eu retiro as minhas palavras e as minha postagem, Pois uso meus princípios éticos e morais nas minhas afirmações e processos.

    Responder

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *