Carlos Bolsonaro: “só bandido e doente mental” crê que presidente incentivou invasões

Screenshot_20200614-222952_Facebook

Após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) causar mais uma polêmica ao incentivar a população a “arranjar uma maneira de entrar” em hospitais e filmar leitos ocupados por pacientes com Covid-19, o vereador pelo Rio de Janeiro (RJ) Carlos Bolsonaro (Republicanos) foi ao Twitter defender o pai. Para ele, apenas “bandidos e doentes mentais” avaliam que o chefe do Executivo incentivou invasões.

Só um bandido ou um doente mental para minimamente crer que o presidente incentivou invasão a hospitais ao invés de entender que o citado foi para que cidadãos cumpram seu direito de fiscalizar os gastos públicos!”, argumentou Carlos.

A declaração do presidente, contudo, está gravada: foi feita durante transmissão ao vivo no Facebook na última quinta-feira (14/06).

“Tem um hospital de campanha perto de você, tem um hospital público, arranja uma maneira de entrar e filmar. Muita gente tá fazendo isso, mas mais gente temd que fazer, para mostrar se os leitos estão ocupados ou não, se os gastos são compatíveis ou não”, pregou o presidente.

O post de Carlos vem na esteira de críticas feitas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, que classificou declarações como “vergonhosas”. “Invadir hospitais é crime – estimular também. O Ministério Público (a PGR e os MPs Estaduais) devem atuar imediatamente”. É vergonhoso – para não dizer ridículo – que agentes públicos se prestem a alimentar teorias da conspiração, colocando em risco a saúde pública”, escreveu ele.
Episódios de invasões
Depois da fala do presidente, foram registrados episódios de invasão de hospitais pelo país, inclusive algumas protagonizadas por parlamentares, como no caso de um grupo de vereadores de Fortaleza, que invadiram hospital de campanha do estádio Presidente Vargas (PV), na última sexta-feira (12/06).
Nesse sábado (13/06), deputados estaduais do Espírito Santo fizeram “visita surpresa” ao Hospital Dório Silva, no município de Serra, região metropolitana de Vitória. Segundo um deles, Torino Marques (PSL), que divulgou a ação em suas redes sociais, o objetivo era mostrar a “realidade da situação por dentro”

No Rio de Janeiro, na quinta-feira (11/06), o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla teve computadores, placas de sinalização e portas estragadas e houve tentativa de invasão de leitos. Em nota, a administração afirmou que eles eram familiares de uma vítima da Covid-19 — fontes ouvidas pelo Globo contaram que eles queriam confirmar se os leitos estavam de fato ocupados.

Fonte Metrópoles Foto DIVULGAÇÃO/CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *