Recém inaugurada, penitenciária ‘sem muro’ começa a receber presos

Screenshot_20200704-203457_Facebook

Inaugurada nesta semana, a Penitenciária de Jovens e Adultos de Várzea Grande, batizada de Complexo Penitenciário Ahmenon Lemos Dantas, com 1.008 vagas, já está recebendo detentos transferidos de outras unidades.

A unidade é a maior em capacidade de vagas do Estado. A Penitenciária Central do Estado tem 900 vagas, embora haja ali mais de 2 mil detentos.

O local levou 12 anos para ficar pronto, sendo que durante 10 anos a obra ficou parada. Somente foi retomada em 2017.

A obra ainda custou R$ 28,3 milhões entre recursos do Ministério da Justiça, por meio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e contrapartida do Tesouro Estadual.

Por questões de segurança, informações sobre quantidade de presos e quando eles foram encaminhados para a penitenciária não foram divulgadas. Mas a transferência ocorre aos poucos por conta da pandemia de coronavírus.

O perfil dos presos que chegarão à penitenciária inicialmente é de baixa periculosidade e em cumprimento final da pena.

Além disso, a base do Serviço de Operações Penitenciárias Especiais (SOE) também foi transferida para a nova unidade há pouco mais de 20 dias.

A unidade funciona no início com servidores do administrativo. Eles são oriundos das unidades que foram fechadas em Dom Aquino, Poconé e Rosário Oeste.

HOMENAGEM

A nova unidade homenageia o policial penal Ahmenon Lemos Dantas, que faleceu no dia 15 de maio deste ano, em decorrência de uma parada cardíaca.

Ele foi servidor do Sistema Penitenciário por 20 anos, tendo atuado na Cadeia Pública de Alta Floresta e a Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May. Sua última lotação foi no corpo da guarda da Penitenciária Central do Estado (PCE).

Fonte Mídia News Foto Mayke Toscano/SecomMT

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *