Cadeirante pode ter morrido por tiro dado pela PM; caso é apurado

Screenshot_20210326-213358_Chrome

A morte de uma pessoa com deficiência identificada como Antonio Simão Martins, de 50 anos, está sendo investigada pela Polícia Civil de Santo Antônio do Leverger (a 35 km de Cuiabá). Ele teria morrido de um ataque cardíaco fulminante enquanto disparava contra policiais militares de Barão de Melgaço. Essa era a informação inicial, mas, durante necropsia do corpo, legistas apontam que a causa da morte se deu por disparo de arma de fogo.

Segundo a Polícia Civil, o projétil pode ser ter sido efetuado pelos policiais durante o atendimento da ocorrência. Deve-se apurar se Antonio morreu mesmo de infarto ou se foi pela arma dos policiais militares. Na ocorrência, a PM chegou a afirmar que não efetuou disparos na direção do homem.

Antônio já tem histórico com a Polícia Militar do município. Em maio de 2019, Antonio aparentemente teve um surto, chegou a invadir a sede da prefeitura de Barão de Melgaço, ameaçou funcionários e efetuar disparos. Para contê-lo, policiais militares efetuaram disparo contra ele e o tiro acertou o tornozelo.

A Polícia Militar foi acionada porque havia a denúncia Antônio estava efetuando vários disparos de arma em via pública, na região central de Barão de Melgaço. Ao chegar no local, os policiais pediram que o homem parasse de atirar, mas ele não atendeu ao pedido, o que fez com que os militares efetuassem um disparo.

Conforme o boletim de ocorrência, com Antônio foram encontrados uma pistola e R$ 44 mil em espécie. Após o caso chegar na Polícia Civil de Leverger, o delegado Adalberto Antônio de Oliveira acionou o Insituto Médico Legal (IML) de Cuiabá para remover o corpo de Antônio do hospital da cidade. Foi no exame dos legistas que foi identificado o disparo como causa da morte do suspeito.

Um inquérito policial foi aberto na Delegacia de Leverger para esclarecer os fatos. Os policiais envolvidos na ação e testemunhas serão ouvidos para apurar o caso.

Fonte RD News / foto Reprodução

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *