Um dia após prisão, juíza liberta os 4 suspeitos da morte de servidor da Sefaz

montagem-idoso-2-3

A juíza plantonista Cristiane Padim da Silva concedeu liberdade provisória aos 4 suspeitos de autoria da morte do servidor aposentado da Sefaz, Nicomedes Francisco Pinto Lopes, 69 anos. A decisão foi proferida durante audiência de custódia na tarde desta sexta-feira (26), um dia após a prisão em flagrante dos dois casais Pedro Henrique Lopes, 19 anos, e Débora Barões, 18 anos; e Jair da Silva, 31 anos, e Waldineia Oliveira Candido, 28 anos.

Nicomedes estava desaparecido desde o domingo (21), passado, quando seu filho notou que transferência por meio de PIX no valor de R$ 4,9 mil. Ele foi encontrado morto, possivelmente com dois tiros (um na cabeça e outro no tórax), em uma região de mata às margens da Estrada da Guia.

Os suspeitos foram presos no mesmo dia, em posse de mais de R$ 5 mil obtidos por meio de transferências bancárias, além de um aparelho celular Iphone 8 e uma televisão de 50 polegadas.

Na audiência de custódia realizada de forma remota, o Ministério Público Estadual (MPE) defendeu a homologação do auto de prisão em flagrante, pois os objetos do crime foram encontrados em posse dos supostos autores. No entanto, pediu a concessão de liberdade provisória aos quatro.

Em sua decisão, a juíza concordou que a materialidade do crime de receptação ficou comprovado por meio dos boletins de ocorrência. Já os indícios de autoria aparecem nas declarações das testemunhas e dos próprios autuados.

Cristiane Padim, no entanto, não viu indícios suficientes para caracterizar crime de associação criminosa. Em relação da necessidade da manutenção da prisão, a magistrada explica que a análise em questão trata apenas do crime de receptação de bens do aposentador assassinado.

O crime de homicídio ainda está sendo apurado pela Polícia Civil de Chapada dos Guimarães. “No mais, utilizando da fundamentação aliunde, reitero as razões ministeriais para justificar a concessão de Liberdade Provisória aos indiciados, acrescentando que mesmo em caso de condenação em eventual ação penal, a sanção permitira regime aberto”.

Prisão

Após o filho da vítima identificar a transferência e acionar a polícia, o casal Jair (tornozelado) e Waldineia foi preso na noite de quarta-feira (24), no bairro Jardim União, na Capital. Com eles, foi encontrado uma televisão de 50 polegadas e um aparelho celular Iphone 8.

Seguindo as investigações, a polícia identificou o segundo casal, responsável pelo recebimento das transferências bancárias.

A dupla, composta por Pedro e Débora Barões, confessou o recebimento de um Pix da vítima no valor de R$ 4,9 mil e que obteve o dinheiro a mando de um grupo criminoso. Os dois também disseram que recebem com frequência valores ilícitos, dos quais ficam com 25% do que é transferido.

Imagem do extrato bancário de Nicomedes foi compartilhado pelo seu filho mais velho e nela é possível ver as transações realizadas. Uma feita pelo idoso à uma mulher no valor de R$ 4,9 mil e compra no cartão de R$ 100. Outra compra no cartão totalizando R$ 3.500 e o pagamento de conta de telefone no valor de R$ 144, 98.

Fonte: Olhar Direto / Foto: Reprodução

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *