DNA confirma que ossada encontrada é de travesti desaparecida há 15 meses

8cf94824fbfd6d83795ae7d50fc74aef

A Perícia Oficial de Identificação Técnica (Politec) confirmou que ossada encontrada às margens de uma estrada, em Santo Antônio do Leverger, é de José Mário Barros Lima, conhecido como “Mary”. O esqueleto foi achado em julho de 2020 e a vítima estava desaparecida desde 8 de janeiro.

Segundo informações da Politec, a Coordenadoria de Perícias em Biologia Molecular confirmou a identificação, através do DNA. O resultado foi divulgado nesta quinta-feira (1).


A amostra de material genético da vítima foi confrontada com a de familiares residentes no estado do Maranhão, sendo elas, a mãe e duas irmãs.


Mary sumiu no dia 8 logo após o trabalho em pizzaria da cidade. Ela seguiu sozinha para casa e foi a última vez que a viram. O sumiço a travesti foi comunicado pelo amigo, Alexandre Magalhães.

Dias depois, 3 homens foram presos suspeitos pelo crime, inclusive o amigo. Mas logo foram soltos porque não havia provas. Um deles afirmou que teriam matado a vítima e indicou onde o corpo estaria, mas buscas foram feitas e nada localizado.


Em julho, uma denúncia anônima indicava o local onde estava a ossada humana. Os policiais foram ao local e encontraram os restos mortais. A vítima vestia uma bermuda jeans e havia no bolso R$ 30 já deteriorados. Tinha cabelos compridos e usava uma presilha cor de rosa. A vítima tinha cerca de 1,60 metro.

Mary tinha se mudado do Maranhão em busca de uma vida melhor em Mato Grosso. Depois do desaparecimento, campanhas foram feitas para ajudar a localizar a vítima e os familiares gravaram vídeos emocionados apelando pela localização da travesti.


“A família está indignada por não ter nenhuma resposta da Mary. Ela veio para cá (Mato Grosso) em busca de um emprego, de uma vida melhor e está desaparecida desde o dia 8 de janeiro. Até agora não temos uma resposta concreta que possa aliviar nossos corações. A polícia não deu nenhuma resposta de suspeito presos, ninguém foi preso até agora, o motivo de tanta brutalidade e por que fizeram isso com a Mary”, suplicou a irmã Solange da Conceição em uma das publicações.
A investigação segue sob segredo de Justiça.

Fonte: Gazeta Digital / Foto Reprodução

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *