Mercado Municipal de Cuiabá: prefeitura quer construir novo prédio e busca investidores

Screenshot_20210418-211331_Chrome

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) apresentou nesta sexta-feira (16) uma projeção de como pretende reconstruir o tradicional Mercado Municipal, localizado no centro da cidade e que há muito tempo sofre com o abandono.

Com a justificativa de levar Cuiabá rumo aos tempos modernos, ele defendeu a demolição do prédio como conhecemos hoje e a edificação de um novo, de quatro andares, que contemplará comércios, estacionamentos e espaço de convivência.

Não é a primeira vez que os cuiabanos, caso o projeto seja concluído, vão ver um espaço público passar por este tipo de transformação. Recentemente, houve a demolição do Estádio do Verdão e, em tempos anteriores, da Igreja Matriz e do Palácio Alencastro.

A expectativa de Pinheiro é abrir a concorrência pública para os interessados no empreendimento em junho deste ano, já que o Estudo Técnico, Jurídico, Econômico e Financeiro foi entregue oficialmente na cerimônia desta sexta-feira (16). Até lá, ele garante que cumprirá à risca todos os procedimentos legais, como a realização de audiências públicas para ouvir a sociedade.

Investimentos de grandes proporções

Além de investir no prédio, quem apresentar a proposta para a Parceria Público Privada também terá que aplicar recursos na área de entorno, como vias urbanas e região das praças Alencastro e Ipiranga.

Outro grande desafio do empreendedor será tornar a região inteligente, ou seja, organizar todos os espaços de estacionamento e dar aos usuários acesso a aplicativos que facilitem a mobilidade na região e também o trabalho da segurança.

A equipe do site de notícias O LIVRE perguntou à prefeitura de Cuiabá, por meio da assessoria de Imprensa, quanto seria o investimento estimado, mas ainda não obteve o retorno.

Vale lembrar que outros projetos de grandes proporções idealizados pelo gestor também não saíram do mundo das ideias, como era o caso da Torre do Morro da Luz. Lá, a proposta era de se construir uma edificação semelhante a Space Needle ( em português “Obelisco do Espaço), localizada em Seatle, nos Estados Unidos, ou CN Tower, em Toronto, Canadá.

Contudo, Emanuel assegura que se manterá firme na programação e espera assinar o contrato com a empresa em setembro deste ano. Após firmada a parceria, o vencedor terá entre 18 e 20 meses para concluir as obras.

A renovação da tradição

Durante vários momentos da apresentação do Estudo Técnico, Jurídico, Econômico e Financeiro, as palavras tradição e juventude foram citadas. Entretanto, ganhou forma o rejuvenescimento da área por conta do descarte do antigo em detrimento de questões comerciais e de sobrevivência.

O responsável pelo trabalho, Arthur de Oliveira, da Promulti Engenharia, citou que foram feitas pesquisas mostrando o desinteresse atual dos mais novos em circular pelo Centro Histórico.  Um trabalho de escuta que também mostrou que eles se interessariam, caso houvessem atrativos.

Por esse motivo, a criação de um espaço novo se justificou e ganhou ares contemporâneos com o uso de inteligência artificial, por meio de aplicativos de orientação, e a instalação de áreas de convivência com disponibilidade de Internet e tomadas, itens essenciais para a nova geração, marcada pela conectividade.

Oliveira também argumentou que é preciso ver o lado da empresa interessada. Como não haverá investimento público no projeto, o investidor precisa garantir o retorno com a área, que virá por meio dos alugueis, do estacionamento e da venda de mídia nos espaços físicos e aplicativos.

Veja o vídeo do projeto:

Fonte, foto e vídeo: O LIVRE

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *