Documentos atestam que Pros mentiu e mandato de Batista iria até novembro

0ba080b62782af7cbec6688a54d1b35a5d8b95387c372

O afastamento do deputado estadual João Batista do Sindspen, da direção estadual do Partido Republicano da Ordem Social (PROS-MT), provocou uma polêmica envolvendo o parlamentar, a candidata a prefeita derrotada, Gisela Simona e a direção nacional do partido.

Simona, juntamente da direção nacional do Pros, alegaram que não houve nenhum tipo de intervenção referente ao afastamento, afirmando que o mandato do deputado teria expirado no último dia 4 de maio.

Em resposta, Batista disponibilizou, por meio da sua assessoria, cópia da ata devidamente registrada, sendo reconhecida no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (documentos em anexo ao fim da matéria), mostrando que seu mandato teria vigência até o dia 1º de novembro de 2021. Assim sendo, o comando nacional, teria cometido uma ilegalidade, intervindo no partido antes do término do mandato.

Nas redes sociais e em grupos de mensagens, membros e filiados do partido, demonstram indignação contra a intervenção e declaram apoio ao deputado, que foi o responsável pela expansão do Pros-MT, consolidando o partido em 49 municípios, elegendo prefeito, vice-prefeitos e vereadores.

Confira documento logo abaixo: 

 

Fonte: Muvuca Popular / Foto: Reprodução

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *