“Fungo Negro” começa a matar pacientes no Brasil

162912e83c811a92da7d5bbfb742e784

MANAUS – Uma infecção rara, causada supostamente pela Mucormicose, o chamado ‘Fungo Negro’, foi identificada em um homem de 56 anos, em Manaus. O comunicado foi feito pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), neste domingo (30), que identificou o caso em um homem de 56 anos, com diabetes tipo 2.

Com histórico de diabetes tipo 2, usuário de insulina, o paciente foi internado no dia 12 de abril, no Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, na zona leste da capital, e depois atendido no hospital da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), onde morreu no dia 16 do mesmo mês. O homem também apresentava um quadro de “imunosupressão” (quando o sistema imunológico tem atividade ou eficiência reduzida).

Teste negativo

O paciente também apresentou um quadro gripal, mas com resultado negativo do teste RT-PCR para Covid-19. Além disso, também foi detectada uma coceira no olho direito, que evoluiu para uma infecção. Ele chegou a receber a primeira dose da CoronaVac, em Maués, no dia 01 de março, pela Secretaria Municipal de Saúde, mas, dias depois, apresentou sintomas de gripe.

Monitoramento

Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde do Amazonas (CIEVS), coordenador pela FVS, comunicou, de forma imediata, ao CIEVS nacional, após o resultado de exame histopatológico (análise microscópica de tecido), da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), na última sexta-feira (28/05).

As autoridades de saúde seguem investigando o caso, aguardando, ainda, uma análise de material coletado pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/AM), a ser enviado para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

Afinal, que infecção é essa?

Chamada de “Fungo Negro” ou “Fungo Preto”, mucormicose, é uma infecção rara, causada pela exposição ao fungo da família, família ‘Mucoraceae’. Ele é encontrado no solo, esterco, plantas, frutas e vegetais em decomposição. Fatal em pessoas com diabetes ou gravemente imunossuprimidas, como pacientes com câncer ou HIV/AIDS, atingindo os seios da face (bochechas), pulmões e cérebro.

Mortes na Índia

Recentemente, a Índia registrou 9 mil casos da infecção, sendo considerado um ‘pesadelo, dentro do pesadelo’, devido a pandemia no país. Pacientes em processo de recuperação da Covid -19 ou recuperados, apresentaram o maior número de infecções, parecendo haver uma relação direta entre os dois, afirmada, segundo especialistas, pelos esteroides usados para tratar o coronavírus.

Fonte: RepórterMT / Foto: Reprodução

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *