Homem “tira” cochilo às margens de estrada e quase é levado para o IML

c2a96a157893c24a37b9db50ae349079

A Polícia Militar de Jacinto, cidade do Vale do Jequitinhonha, quase na divisa com a Bahia, foi acionada na noite de sábado (29/5) para remover um cadáver que havia sido desovado à beira de uma estrada de terra, no meio do mato. O cadáver era de um homem pardo, que vestia calça jeans azul e camisa polo, verde. Entretanto, a história teve um final bem inusitado.

Um casal que passava de moto pela estrada, no breu da noite, viu o ‘cadáver’ na beira da estrada, quando o farol da moto iluminou o corpo inerte. Como no local não havia sinal de celular, o casal seguiu até o Centro de Jacinto e avisou aos policiais que havia descoberto o ponto de desova em Jacinto.

Os policiais seguiram rapidamente ao local indicado e confirmaram a denúncia. De fato, havia um corpo no mato, à beira da estrada. Porém, eles ‘estranharam’ o fato de o ‘corpo’ ainda estar respirando. E roncando.

A missão dos policiais se limitou a “ressuscitar” o homem. Tocaram no corpo e o chamaram. Era Edgar Pedrosa, conhecido na cidade como “Diga”, cidadão pacato, que gosta de tomar uma cachacinha de vez em quando.
Dentro da viatura, de volta pra casa, Diga, confundido com um cadáver, disse que resolveu dormir no mato(foto: Polícia Militar de Jacinto)

E o ‘cadáver’ falou

Sonolento e embriagado, ele contou aos policiais que se deslocou da área central de Jacinto até um bairro próximo, onde mora sua mãe. Na volta pra casa, já trocando as pernas, sob o efeito da cachaça, resolveu se deitar no capim, à beira da estrada. Deitou e dormiu o sono dos justos, motivando a denúncia feita pelo casal que passou por ele, de motocicleta, no breu da noite.

A história de “Diga”, que pareceu ser trágica para o casal que avistou o ‘corpo’ na estrada, tornou-se cômica e divertiu os moradores de Jacinto, que já o conhecem de longa data. Depois de ser encontrado na beira da estrada e pegar carona na viatura policial, ele não foi mais visto pelas ruas.

“Deve estar por aí”, disseram os funcionários da Câmara Municipal de Jacinto e da Casa Paroquial, atestando que “Diga” é boa pessoa, que trabalha fazendo serviços gerais e sempre recebe ajuda de várias pessoas, por meio de campanhas da igreja, mesmo com a advertência feita pelo Papa Francisco aos brasileiros, que para sua Santidade, “não têm salvação, por causa de muita cachaça e pouca oração”.

Mas “Diga”, contrariou o Papa Francisco e mesmo bebendo cachaça, teve a sua salvação na noite de sábado, com o resgate na beira da estrada, no breu da noite.

Fonte: RepórterMT / Foto: PMMG

Anúncio

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *