Autor: Redacao

Redacao8 de julho de 2021
JB-ALMT-xx.jpg

4min00

Na condição de relator da PEC 010, que reintegra às suas funções laborais na Empaer os 61 funcionários, encontro-me na obrigação de intervir no debate político colocado no cenário social de Mato Grosso, a partir das declarações inoportunas e controvertidas do governador Mauro Mendes, fazendo objeção aos efeitos da medida legal aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado.

 

No exercício das funções políticas dos poderes instituídos: Executivo, Legislativo e Judiciário, as regras estabelecidas pela Constituição Federal e Constituição Estadual, impõem como critérios a divisão nas tarefas e independência de cada um deles no exercício de suas funções. De sorte que a aprovação da PEC 010 consubstanciou, de forma unânime, a aprovação pelos deputados estaduais na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

 

A independência e respeito constituem-se em princípios fundamentais na relação entre os poderes. Assim sendo, o governo respeita a Assembleia Legislativa e vice-versa, cada um na sua esfera de decisão. Os ensinamentos dos juristas Maria Helena Diniz e Celso Antonio Bandeira de Mello, asseveram que: “Violar um princípio é muito mais grave que transgredir uma norma. A desatenção ao princípio implica na ofensa não apenas a um especifico mandamento obrigatório, mas a todo o sistema de comandos”.

 

O governador Mauro Mendes justificou que a demissão atendeu decisão judicial. No entanto, a Assembleia Legislativa tem poderes para legislar e usando da sua prerrogativa legal aprovou a PEC 010, que restaurou o direito legitimo dos funcionários demitidos serem reintegrados. Como sentenciou o ministro Alexandre de Moraes do STF: “Pelo princípio da moralidade administrativa, não bastará ao administrador o estrito cumprimento da estrita legalidade, devendo ele, no exercício de sua função pública, respeitar os princípios éticos de razoabilidade e justiça(…)”.

 

Em relação à reintegração dos funcionários da Empaer às suas funções, os dados econômicos e sociais comprovam o papel relevante que o setor agropecuário, no qual os citados trabalhadores atuam, prestando serviço na Empaer, desempenha. A Agricultura Familiar, setor ao qual a Empaer presta orientações e assistência técnica, contribui para a geração de 21,4% do PIB agropecuário, e produção de 70% dos alimentos que chegam à mesa da população. E um total de 104 mil famílias – 344 mil pessoas – sobrevivem da Agricultura Familiar em Mato Grosso(IBGE).

 

De modo que não se pode desrespeitar com tratamento desonroso e palavras de baixo calão os deputados, nem amesquinhar os relevantes serviços da Empaer, tratando com desdém o órgão e seus trabalhadores.

 

A dimensão estadista impõe visualizar o horizonte de maneira ampla, e assim evitar apequenar o papel do Estado, enquanto instituição superior da sociedade. Sob pena do estadista perder-se em meio quimeras e varejo, se descaracterizando no cumprimento de seu papel relevante de polarizador e indutor do desenvolvimento econômico e social.

 

Artigo de Opinião: deputado estadual João Batista do Sindspen (Pros)

 


Redacao6 de julho de 2021
2926858ce79811b6340ba22aec5a5a16.jpg

3min00

Morreu, na noite de segunda-feira (5), o homem de 33 anos que estava internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) depois de sofrer queimaduras ao cozinhar usando álcool porque não tinha dinheiro para comprar gás de cozinha, em Goiânia. Segundo a família, Stive Daves Alves dos Santos sofreu uma parada cardíaca quando realizava um procedimento de raspagem.

Stive teve 50% do corpo queimado quando preparava o almoço na última sexta-feira (2), no Setor Jardim Bela Vista. No dia do acidente, ele foi socorrido por uma equipe do Corpo de Bombeiros e encaminhado, com queimaduras nos braços, rosto e tórax, ao Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol).

Ao G1, a unidade de saúde informou que “apesar de todos os esforços e procedimentos da equipe multidisciplinar da unidade hospitalar, o paciente foi a óbito”.

De acordo com a mulher dele, Chirlene Correia da Silva, de 50 anos, eles estavam passando por dificuldades financeiras e, por isso, estavam há alguns dias improvisando com álcool para conseguir cozinhar.

No dia do acidente, ela conta que tinha saído de casa e deixado o marido terminando de preparar o almoço quando um vizinho foi atrás avisando que estava saindo fumaça da casa dela.

 “Quando eu cheguei em casa já estava tudo destruído, os móveis queimados, as roupas, tudo. Meu marido tremia muito, não conseguia falar, parecia sentir muita dor. Foi desesperador”, afirmou.

Sem um trabalho fixo Chirlene conta que, além de ter perdido os móveis e as roupas no incêndio que atingiu a casa, ela terá ainda de contar com a ajuda de familiares e amigos para pagar pelo enterro do marido, que terá o corpo levado, nesta terça-feira (6), para Tocantins, onde ele nasceu.

Fonte: RepórterMT / Foto: Arquivo pessoal


Redacao6 de julho de 2021
825a76e8caa965255a44a06a4d2066e4.jpg

4min00

O Ministério da Saúde liberou, a partir desta segunda-feira (5), a campanha de vacinação contra a Influenza para a população em geral, a partir de 6 meses de idade. A decisão tem como motivação a baixa adesão dos grupos prioritários que vinham sendo atendidos até então. Em Cuiabá, dentre as 107 Unidades Básicas de Saúde, apenas algumas não estão direcionadas para a aplicação da vacina contra a Influenza

Apesar da ampliação, pessoas que fazem parte dos grupos prioritários continuam sendo imunizadas. São eles: motoristas, cobradores e auxiliares do transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso, pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, Forças de Segurança e Salvamento e Forças Armadas, crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade, gestantes, puérperas, trabalhadores da saúde, idosos, professores e caminhoneiros.

De acordo com o coordenador de Programas Estratégicos da Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá, Wellington Assunção Ferreira, é de extrema importância se vacinar contra a gripe, uma vez que a procura nos postos de saúde está baixa. “Devido à pandemia, grande parte da população só está preocupada em ser vacinada contra o coronavírus, mas as pessoas precisam entender que o vírus da gripe também é perigoso e pode levar ao óbito. Pedimos às pessoas que fazem parte dos grupos contemplados que procurem uma unidade básica de saúde e se vacinem contra a gripe. Para isso, basta levar um documento pessoal com foto e a caderneta de vacinação”, disse o coordenador.

Todas as unidades aplicam a vacina exceto:

Wellington Assunção ainda destaca que dentre as 107 unidades básicas de saúde da Capital, apenas algumas não estão direcionadas para aplicar a vacina contra a Influenza “devido a essas unidades serem referência para a população que procura a unidade com algum sintoma de covid-19 e não ser possível fazer a separação dos demais pacientes”, disse Assunção.

As unidades que NÃO estão aplicando a vacina da Influenza são: PSF Osmar Cabral / Liberdade, PSF Nova Esperança, PSF Pedra 90 lll e lV e PSF São Gonçalo, na região Sul; PSF Novo Horizonte e CS Ana Poupina, na região Leste; PSF Santa Amália /Jd. Araçá, PSF Santa Isabel I e II e PSF Santa Isabel III, na região Oeste.

Orientações para quem se vacinou contra a Covid-19

A vacina protege contra a Influenza A H1N1, Influenza A H3N2 e Influenza B. Importante destacar que deve ser observado um intervalo de 15 dias entre a vacina da Influenza e a da Covid-19. No caso de a pessoa ter tomado a primeira dose das vacinas Pfizer ou Astrazeneca, a dose da vacina contra a Influenza pode ser tomada 15 dias após a primeira dose. No caso da Coronavac, que tem intervalo menor entre as duas doses, a vacina da gripe deve ser tomada 15 dias após as duas doses da Coronavac.

Fonte: Olhar Direto Foto: Gustavo Duarte


Redacao6 de julho de 2021
f21de517df7f26bf883ad91bb3455d51.jpg

3min00

Um austríaco foi mordido no pênis por uma cobra píton de estimação do vizinho depois que a serpente escapou por um ralo e foi parar no banheiro dele. O incidente aconteceu nesta segunda-feira, 5. As informações foram divulgadas pelo Daily Mail.

O homem de 65 anos, da cidade de Graz, no sul do país, foi mordido por volta das 6h da manhã de segunda-feira quando ia ao banheiro em seu apartamento.

A polícia disse que o homem tinha acabado de se sentar quando sentiu um “beliscão” no órgão genital e se levantou de um salto, apenas para encontrar uma cobra albina de 1,5 metro olhando para ele.

O homem chamou os oficiais, que chegaram ao lado de um especialista em répteis local que veio retirar a cobra de seu esconderijo.

Enquanto isso, o homem foi levado ao hospital para que pudesse ser tratado por “ferimentos leves”.

Os médicos disseram que, felizmente, as pítons não são venenosas, mas havia o risco de a picada ser infectada por bactérias no banheiro.

O especialista Werner Stangl disse que a píton também não estava ferida e, depois de limpa, foi devolvida ao seu dono de 24 anos – o vizinho da vítima.

A polícia disse que o homem mantém um total de 11 cobras não venenosas e uma lagartixa em seu apartamento em gaiolas e gavetas especialmente projetadas.

O dono do réptil não sabia que a cobra havia escapado até que a polícia a trouxesse de volta.

A rota exata para o apartamento do vizinho também não é clara, mas deve ter sido pelo ralo.

Stangl disse ao jornal local Salzburger Nachrichten que, em 40 anos lidando com répteis, ele não tinha visto nada como o incidente desta segunda-feira.

A polícia disse que o dono da cobra foi encaminhado ao Ministério Público por lesão corporal negligente.

Os serviços de animais também foram alertados da presença de um grande número de cobras potencialmente perigosas no endereço.

Fonte: RepórterMT / Foto: Reprodução

Redacao6 de julho de 2021
433da43ac0f81107d2a67a3d4442c8b6.jpg

2min00

Um incêndio de grandes proporções atingiu a Terra Indígena Baía dos Guatós, no município de Barão de Melgaço (113 km de Cuiabá), na segunda-feira (5). As áreas devastadas pelas chamas foram de aproximadamente 2 km.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, as equipes detectaram as chamas através de monitoramentos via satélite. Por conta da impossibilidade de acessar o local por terra, os bombeiros tiveram que realizar voos pela região nesta terça-feira (6) para verificar a real situação do incêndio.

Os militares constataram que o fogo apagou sozinho, por conta da umidade da vegetação local.

Ainda não há informações de como o incêndio iniciou. As causas serão apontadas após perícia técnica realizada pela corporação.

No ano passado, o fogo consumiu cerca de 2,1 milhões de hectares na região.

A Funai informou que, por meio da Coordenação de Prevenção de Ilícitos (Copi) e Coordenações Regionais, tem realizado ações de prevenção a incêndios florestais em terras indígenas, em parceria com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama/PrevFogo).

As iniciativas fazem parte das atividades de Manejo Integrado do Fogo (MIF) nesses territórios.

Fonte: RepórterMT / Foto: Tenente Thiago / CBM


Redacao6 de julho de 2021
4e64966746a8df9df02201ac2b393f07-1.jpg

1min00

Nesta segunda-feira (5), uma mulher destruiu o veículo do marido, após flagrá-lo com uma gatora de programa em um motel, em Várzea Grande. O filho pequeno do casal estava com a mulher e presenciou todo o ocorrido.

Segundo informações, o homem, que seria gerente de uma fábrica de engarrafamento de água, estava acompanhado de uma garota de programa e com o carro da empresa. No local, o veículo ficou destruído dentro da garagem de um dos quartos.

Furiosa, a esposa chegou ao local em uma caminhonete Hillux e bateu na traseira do veículo do marido.

A Polícia Militar foi acionada e registrou a ocorrência.

Fonte: O Bom da Notícia / Foto: Reprodução


Redacao6 de julho de 2021
PEC-EMPAER.jpeg

3min00

Durante a sessão plenária vespertina, realizada na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), nesta terça-feira (06), o deputado estadual João Batista do Sindspen (Pros), foi um dos principais defensores da PEC nº 010/2021, que trata da reintegração dos 61 servidores da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer).

 

Com 23 votos “sim” e uma ausência, a PEC de autoria das lideranças partidárias, foi proposta para atender especificamente os trabalhadores que foram demitidos pelo governador Mauro Mendes (DEM), por conta da efetivação nos cargos em razão de um processo seletivo tido como precário realizado na década de 90.

 

João Batista foi relator da PEC e fez ampla defesa sobre a atuação da Empaer em 94% dos municípios do Estado. Na ocasião, o parlamentar enfatizou a importância da empresa que atende por ano, mais de 45 mil agricultores, entre homens e mulheres rurais, indígenas, pescadores, jovens, entre outros.

 

“Essa PEC vem de encontro a necessidade de manutenção do cargo destes servidores, muitos deles, estão trabalhando há mais de 30 anos em prol da Agricultura Familiar no Estado. A Empaer cumpre um relevante papel, prestando assistência técnica e orientação aos pequenos agricultores nos 141 municípios. De uma hora para outra, os servidores viram seu único sustento ser retirado de forma abrupta, isso não é justo”, disse o deputado.

 

Com a aprovação da matéria, uma comitiva formada pelo deputado João Batista e demais parlamentares, devem seguir rumo ao Palácio Paiaguás, para uma “intervenção” junto ao governador Mauro Mendes (DEM).

 

“Durante a reunião com representantes da Empaer, o colega parlamentar Wilson Santos, sugeriu que uma comitiva fosse formada após a aprovação da PEC. Este grupo irá até o Palácio Paiaguás para mostrar ao governador a real necessidade de recondução dos servidores ao cargo imediatamente”, explicou.

 


Redacao5 de julho de 2021
Screenshot_20210705-211319_Gallery.jpg

4min00

Mais de 4 mil pessoas podem ter recebido água do mar no lugar de uma dose de vacina contra a covid-19 na região de Mumbai, a cidade mais populosa da Índia. Segundo a imprensa local. um elaborado esquema para aplicação de vacinas falsas estava sendo realizado por dirigentes de um importante hospital particular na região.

A polícia já prendeu 14 suspeitos de participarem do esquema, incluindo o dono do hospital Shivam, Shivraj Pataria, e sua esposa, Neeta, além de funcionários e alunos. O hospital foi lacrado pelas autoridades nesta segunda-feira (5) e todo o dinheiro arrecadado pelos fraudadores, 1,24 milhão de rúpias (o equivalente a cerca de R$ 850 mil) foi confiscado, junto com um carro.

De acordo com o Times Of India, o Shivam era um dos hospitais de Mumbai credenciados para realizar a vacinação contra a covid-19. Com a expansão da campanha, os proprietários decidiram fazer um cadastro para realizar a imunização em postos em outros locais da cidade, enquanto buscavam comprar mais 100 mil doses de vacina.

No entanto, eles não conseguiram um empréstimo que seria necessário para pagar as doses. Sem os imunizantes, o grupo decidiu encher ampolas com água do mar e vacinar os inscritos de todo jeito, para ficar com o dinheiro. Ao todo, dos 12 postos volantes montados por eles desde o final de abril, pelo menos 9 aplicaram vacinas falsas em um total de 4.077 pessoas.

Certificados adulterados

A farsa foi descoberta quando funcionários do sistema de saúde indiano notaram a falta de certificados das vacinas aplicadas nesses postos, além de alguns documentos falsificados ou duplicados. Pacientes também relataram à polícia que notaram que os lacres das vacinas estavam violados e que acharam estranho que só poderiam pagar pela vacinação em dinheiro vivo.

“Eles tinham regras bem definidas para esses postos”, explicou um investigador ao Times Of India. “As ampolas eram guardadas em caixas térmicas, para evitar suspeitas. Algumas vezes, eles guardavam os frascos dentro de geladeiras desligadas. Outra regra importante era que eles não deixavam ninguém tirar fotos nesses locais”.

Um estudante de medicina, Kareem Ali, que também foi preso pela polícia, foi usado de cobaia. Os idealizadores do esquema injetaram a água do mar no corpo dele para se certificar de que não causaria nenhum efeito colateral.

Desde abril, a Índia sofre com uma onda brutal de aumento de casos e mortes por covid-19. O governo intensificou os esforços de vacinação e até o momento já aplicou quase 350 milhões de doses de imunizantes. Até o momento, foram confirmados pouco mais de 30 milhões de casos (o 2º maior número do mundo) e 402 mil óbitos (o 3º maior) pela doença no país.

 

Fonte R7 / Repórter MT/ Foto Reprodução


Redacao5 de julho de 2021
bc574690b26ac5e20c63eb6ef02131b6.jpg

2min00

Homem de 34 anos foi preso em flagrante na noite de domingo (4), após ser flagrado por vizinhos estuprando a própria mãe, uma idosa de 70 anos, que gritava pedindo socorro. O crime aconteceu na chácara que a família mora, em Feliz Natal (536 km ao Norte de Cuiabá).

De acordo com as informações apuradas pelo Gazeta Digital,  testemunhas acionaram a Polícia Militar por volta das 19h e relataram que o suspeito estava estuprando a mãe, mas que tinha sido detido por populares.

No local, os policiais foram informados que o agressor costuma ingerir bebida alcoólica e que a deixa sob efeito de álcool também. Na noite de domingo, ele a deixou bêbada e, em seguida, foi para cima dela.

A vítima pedia por socorro, momento em que uma vizinha ouviu e arrombou a porta da casa, flagrando a idosa nua na cama e o suspeito por cima, consumando o crime sexual.

Depois de entrar na casa, a agressor foi para cima da testemunha, que contou com a ajuda de outros vizinhos e conseguiram deter o homem no momento da fuga.

A vítima é deficiente auditiva e sofre com hipertensão. Segundo a PM, o local onde moram é insalubre e a mesma precisa de ajuda dos vizinhos para se alimentar.

Foi informado ainda que a filha é quem detém o cartão aposentadoria da vítima, mas não repassa o dinheiro para ela. Vítima foi levada para uma unidade de saúde, onde recebeu os cuidados.

O agressor foi preso em flagrante e encaminhado à Delegacia de Polícia da cidade, onde ficará à disposição da Justiça.

Fonte: Gazeta Digital / Foto: Reprodução


Redacao5 de julho de 2021
Screenshot_20210705-210445_Chrome.jpg

3min00

Adilson Pinto da Fonseca, de 50 anos, foi condenado a mais de 35 anos de prisão pela morte e ocultação dos cadáveres de sua namorada, Talissa de Oliveira Ormond, de 22 anos, e de sua ex-mulher, Benildes Batista de Almeida, de 39 anos.

Decisão se deu durante Tribunal do Júri nesta sexta (2), presidido pela juíza Mônica Catarina Perri. O réu foi condenado a 17 anos e 11 meses pelo primeiro crime e 17 anos e 3 meses pelo segundo crime. Até então, ele estava preso de forma preventiva.

Até Adilson confessar os crimes, mortes eram encaradas como desaparecimento. Mulheres desapareceram em 2013, Corpos foram enterrados no terreno de sua casa, no bairro Nova Conquista, em Cuiabá.

Durante as investigações da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Cuiabá, ele foi preso em flagrante por ocultação de cadáver. Em 2019, foi indiciado pela Polícia Civil por ocultação de cadáveres e femincídios.

Homem alegou que cometeu os crimes por ciúmes, depois de discussões ocasionais com as vítimas.

Desaparecimentos

A mãe de Talissa informou à Polícia Civil que ela saiu para trabalhar em uma empresa de telefonia e não deu mais notícias. Na empresa, a chefe da moça disse à mãe que naquele dia ela trabalhou o dia todo e quando saiu, havia um rapaz moreno em uma motocicleta à espera dela. Mas ninguém a viu sair com ele. No dia seguinte, a vítima teria ligado na empresa pedindo socorro. Depois não houve mais contato.

A segunda vítima,  Benildes, desapareceu em 17 de dezembro de 2013. Ela morava na cidade de Asturia, na Espanha, e tinha vindo ao Brasil onde passou cinco meses com a família. A filha dela entrou em contato com a Polícia Federal, que não identificou a saída de Benildes do Brasil.

Os inquéritos, com mais de dois volumes de informações colhidas ao longo dos anos da investigação, direcionavam para o suspeito. (Com informações da assessoria).

Fonte RD News / Foto Reprodução