Categoria: Curiosidades

Redacao14 de abril de 2021
Screenshot_20210414-223246_Chrome.jpg

2min00

Uma garota de programa foi presa em Copacabana, na Zona Sul do Rio, sob acusação de estupro contra o ex-namorado, um empresário de 29 anos. Lidia Nayara de Azevedo, de 38, teria dopado e abusado do ex-companheiro após convidá-lo para o apartamento em que ela mora, em meio a uma suposta reconciliação. Em depoimento prestado na 13ª DP (Ipanema), a vítima contou que, depois de chegar à residência de Lidia, recebeu uma bebida adulterada e acabou dormindo por quase 24 horas seguidas.

Ele só despertou quando recebeu telefonemas da mãe, que revelou ter recebido fotos e vídeos enviados pela moça. Nas imagens, ela mostrava a sessão de abusos sexuais.

Ainda segundo o rapaz, os dois namoravam desde novembro de 2016, entre idas e vindas. O relacionamento era marcado por muitas brigas e há, inclusive, registros de ocorrência feitos junto à polícia por conta de crimes da Lei Maria da Penha.

Durante o estupro, Lidia inseriu dedos e um vibrador no ânus do ex-namorado – tudo registrado por fotos e vídeos, que também foram postados em redes sociais e aplicativos de conversa. À polícia, a vítima afirmou que se sente “humilhado” por todo o ocorrido.

De acordo com o delegado Felipe Santoro, titular dª 13a DP, Lidia foi presa temporariamente pelo crime de estupro. Em seu Relatório de Vida Pregressa. há anotações por diversos crimes, comoG roubo e tentativa de homicídio. Ela foi encaminhada ao sistema prisional.

Fonte Folhamax / Foto Reprodução


Redacao9 de abril de 2021
165c5d8c5a73c4a5cd76020e9639bc39.jpg

3min00

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Combate ao Crime Organizado e da 3ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, ambas de Formiga, na Região Centro-Oeste de Minas Gerais, deflagrou na manhã desta sexta-feira, 9, uma operação para combater os crimes de corrupção passiva e ativa e peculato cometidos por funcionários de cemitério. As Polícias Civil e Militar também participam da operação denominada Cemitério Maldito.

De acordo com o MPMG, o cemitério envolvido é o Parque da Saudade. Seis pessoas, sendo cinco funcionários públicos e um ex-funcionário público, são investigadas. Estão sendo cumpridos seis mandados de medidas cautelares, como o afastamento das funções públicas, e oito mandados de busca e apreensão.

Conforme as investigações, que duraram cerca de sete meses e tiveram início em virtude de uma denúncia feita por servidor público, foram coletadas provas de que os coveiros recebiam propina de famílias para assegurar lugares no cemitério, e, para tanto, enterravam caixões vazios. Quando o ente da família morria, os coveiros retiravam o caixão vazio e colocavam o corpo.

Também foi apurado que os coveiros mantinham esquema de recebimento de horas extras que não eram devidamente cumpridas.

Além disso, para o MPMG há fortes suspeitas de que os coveiros abasteciam veículo particular de uma funerária com valores oriundos do erário.

Ainda segundo as investigações, existem indícios do desvio de urnas funerárias do município para uma funerária particular.

Fonte: MPMG / Foto: Reprodução MPMG


Redacao31 de março de 2021
Screenshot_20210331-224305_Chrome.jpg

4min00

Um homem é investigado por ter quebrado a clínica da mulher dele por ela não ter feito o almoço na hora certa, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. De acordo com a polícia, o suspeito acordou na hora do almoço, depois de ter trabalhado à noite, se irritou pelo fato de a refeição não estar pronta e começou a discussão.

“Ele trabalha de aplicativo à noite, chegou e dormiu até tarde. Quando acordou, não tinha a refeição do almoço pronta. Começou uma discussão, e ele quebrou a porta da clínica e o celular da esposa”, disse o delegado Moacir Filho.

O caso aconteceu no começo da tarde de domingo (22), no Bairro Ilda. De acordo com o delegado, o homem, de 28 anos, foi preso em flagrante, após uma vizinha ouvir a discussão e acionar a Polícia Militar. Ele foi levado à delegacia, mas pagou fiança e foi liberado no mesmo dia. O valor arbitrado não foi divulgado pela corporação.

Como o nome do investigado não foi divulgado, o G1 não conseguiu contato com a defesa dele.

A mulher, de 32 anos, relatou em depoimento que é casada há três anos com o suspeito e que ele nunca havia sido agressivo antes. O delegado afirmou que não houve agressão física neste caso, apenas verbal e dano material. Uma perícia definirá o valor do prejuízo.

A corporação pediu uma medida protetiva à vítima, que foi concedida pela Justiça. Entre as determinações impostas está o afastamento do lar, ou seja, o homem tem de sair da casa onde moram, assim que notificado.

O delegado disse que ainda está ouvindo testemunhas e vizinhos para poder concluir o inquérito. Ele afirmou que, até o momento, não há elementos para que seja feito um pedido de prisão preventiva contra o suspeito, que poderá ser indiciado pelos crimes de dano e injúria.

Fonte G1:

https://g1.globo.com/go/goias/noticia/2021/03/23/homem-quebra-clinica-da-companheira-por-ela-nao-ter-feito-o-almoco-na-hora-certa-em-aparecida-de-goiania-diz-policia.ghtml

Porta da clínica ficou destruída
Aparecida de Goiânia — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Redacao30 de março de 2021
Cinco-maneras-de-evitar-discusiones-con-tu-pareja.jpg

2min00

Uma mulher de Zâmbia, identificada como Gertrude Ngoma, 26, processou o namorado, Herbert Salaliki, 28, porque, em oito anos de relacionamento, ele ainda não a pediu em casamento. Gertrude, que tem um filho com o namorado, contou aos juízes que ainda mora com os pais, enquanto ele mora sozinho.

“Ele nunca foi sério, por isso o levei aos tribunais. Mereço saber o caminho a seguir e o nosso futuro”, afirmou Gertrude em entrevista ao site queniano Tuko. A mulher também disse que suspeitava que Herbert tinha uma amante, pois o flagrou enviando mensagens para outra mulher.

Em contrapartida, Herbert afirmou que não tem condições financeiras de custear um casamento e ainda revelou que Gertrude não lhe dá a atenção necessária. Após ouvir os dois, o tribunal concluiu que a reconciliação fora dos tribunais era a melhor maneira de resolver a questão.

“Estou cansada desses joguinhos. Um homem te namora por um, dois, cinco, outros até por oito anos, e quando pergunta sobre casamento, ele nunca dá um motivo. Eles afirmam que ainda não se estabeleceram. Quando estará pronto?”, afirmou Gertrude em um vídeo amplamente compartilhado nas redes sociais.

Fonte: Uol / Foto: Reprodução Internet


Redacao30 de março de 2021
0c645463f0274cdc4f870c591c096765-e1523298666573-696x331-1.jpg

2min00

Um caso atípico foi registrado na delegacia de Querência (959 km de Cuiabá) interior de Mato Grosso. Cansada de uma visita que não ia embora, uma mulher de 41 anos chamou a Polícia Militar para ajudá-la a se livrar do inconveniente.

Conforme o boletim de ocorrência, a visita, um homem de 33 anos, estava na casa da comunicante desde há dois dias, quando ela chamou a Polícia Militar pela primeira vez.

Os policiais conversaram com o homem, que resolveu deixar a casa da “amiga” Porém, por no dia seguinte, a dona da casa acionou a PM novamente, dizendo que o homem tinha retornado e estava tentando invadir a casa dela.

A equipe da PM encontrou o homem bastante alcoolizado, conversando com a dona da casa pela janela.

A mulher disse aos policiais que já teve vários problemas de maus-tratos com o suspeito e que gostaria de pedir medida protetiva contra ele.

Os dois foram encaminhados à Central de Atendimento da cidade e depois para a delegacia. O caso foi registrado como violação de domicílio e maus-tratos. O caso aconteceu em 02 de maio de 2018.

Fonte: O Livre / Foto:  Ednilson Aguiar/O Livre


Redacao27 de março de 2021
csm_mulher_morde_PM_712695bc87.jpg

4min00

Uma mulher de 28 anos atacou policiais militares após se recusar a usar máscara dentro de um supermercado em Cidade Ocidental (GO). As informações são da TV Anhanguera, afiliada da TV Globo. Imagens da câmera de segurança mostraram dois policiais militares pedindo à mulher que colocasse a máscara de segurança, que evita a proliferação da covid-19, mas ela se recusou e tirou uma faca do bolso.

Ao detectarem a ameaça, policiais entraram em contato físico, jogaram gás de pimenta e imobilizaram a mulher, que ainda mordeu um deles. Os policiais foram chamados ao local após funcionários tentarem pedir que ela utilizasse o objeto de segurança, mas ela se negou e continuou fazendo compras. De acordo com reportagem, a suspeita foi detida e seria encaminhada a um centro de detenção provisória.

De acordo com o sargento Manoel Domingos, a equipe foi chamada por funcionários do supermercado, por volta das 18h da última quinta-feira (25), com a informação de que a cliente teria se recusado por várias vezes a usar a máscara. No vídeo, que tem cerca de dois minutos, é possível ver que ela mexe na bolsa enquanto os policiais conversam com ela. Nesse momento, segundo o policial, ela pegou um faca e ameaçou atingir um dos militares.

“Quando os policiais perceberam que ela estava com uma faca, eles já tentaram desarmá-la e algemá-la. A partir daí, ela demonstrou ainda mais resistência e a única forma encontrada pelos policiais foi imobilizá-la no chão. Durante todo o tempo, ela xingou a equipe e ainda agrediu um dos policiais com uma mordida e vários arranhões”, disse.

Um decreto municipal determina o uso obrigatório de máscara de proteção individual em espaços públicos e privados durante a vigência das medidas de enfrentamento à pandemia de Covid-19 na cidade. Segundo o supermercado onde a mulher estava, um cartaz na porta do estabelecimento também informa sobre a obrigatoriedade de utilização do item.

Após ser algemada, a mulher foi levada ao Centro Integrado de Operações de Segurança de Luziânia (Ciops), onde, segundo a Polícia Civil, foi autuada por infringir uma determinação do poder público e por desacato. Segundo a corporação, ela deve ser encaminhada ao presídio feminino da cidade na manhã desta última sexta-feira (26).

Fonte: UOL / G1


Redacao24 de março de 2021
raio-x-de-pulmao-ap.jpg

3min00

Uma professora de 27 anos deu entrada em um hospital com sinais de tuberculose na Índia. O caso, porém, sofreu uma reviravolta curiosa: na verdade, a mulher havia inalado, acidentalmente, um preservativo durante relação sexual com o marido. Os especialistas descreveram o incidente em um estudo publicado no jornal científico da National Library of Medicine.

De acordo com a pesquisa, na primeira consulta, a mulher se queixava de tosse, febre e acúmulo de muco, que persistiam por dois meses.

Ela, que recebeu prescrição de antibióticos e tratamento antituberculose, resolveu voltar ao hospital após quatro meses, já que os sintomas não passavam.

A professora foi avaliada novamente para confirmar se tinha tuberculose. O teste, porém, deu negativo para a doença: havia, na verdade, uma lesão em um lobo pulmonar superior da paciente, resultado da inalação do preservativo.

Quando a paciente foi questionada sobre como o preservativo foi inalado, ela se lembrou de uma vez na qual havia feito sexo oral no marido. “Eles [marido e mulher] podiam se lembrar que a camisinha se soltou durante o ato”, descreveram os médicos. “Naquela época, a senhora também teve um episódio de espirro ou tosse.”

Mesmo após a operação, alguns pequenos pedaços do preservativo permaneceram presos no pulmão. Por isso, pode ser que ela tenha que repetir o procedimento para avaliar a traqueia, os brônquios e parte dos pulmões. De qualquer forma, a professora deve se recuperar em breve, segundo os médicos.

Raio-x de pulmão após inalação acidental de camisinha Imagem: Reprodução/C. L. Arya, R. Gupta, V. Arora/Semantic Scholar.

Fonte: Metrópoles