Categoria: Polícia

Redacao8 de julho de 2020
Screenshot_20200707-231143_Facebook.jpg

5min00

Nos primeiros cinco meses deste ano, em Mato Grosso, 28 mulheres foram assassinadas pelos seus companheiros ou ex-companheiros. O número de feminicídios em 2020 é 75% maior ao que foi registrado no mesmo período de 2019, quando foram contabilizadas 16 mortes em todo o Estado. Por outro lado, De janeiro a maio deste ano, o Estado registrou quedas nos registros de ameaça (-16%), lesão corporal (-10%), tentativa de homicídio (-25%), dentre outros.

Delegada e coordenadora da Câmara Temática de Defesa da Mulher da Sesp-MT, Jozirlethe Criveletto, acredita que as mulheres estão dentro de casa com os agressores e sem poder sair para denunciar. “Esse comparativo janeiro a maio de 2019 e 2020, que pega justamente o período do ápice da pandemia, percebe-se que todas as outras violências, a maioria delas, diminuíram seus registros, mas quando nós lembramos que os canais de denúncias como o 180 têm aumentando o número de recebimento de denúncia, nós então entendemos que os registros por si só não espelham a realidade da violência doméstica em Mato Grosso. O número das denúncias nos canais, a exemplo do número 180 mostra um aumento de 35% nos atendimentos entre os primeiros meses do ano passado e 2020”, destaca.

Os dados são da Superintendência do Observatório de Violência, da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) e os números são medidos com base nos dados lançados no Sistema de Registro de Ocorrências Policiais (SROP) e informações fornecidas pelas Diretorias Metropolitana e de Interior da Polícia Judiciária Civil (PJC-MT).

A Superintendência do Observatório da Violência alerta que os dados de feminicídio apresentados são passíveis de alteração, tendo em vista que a investigação do crime é complexa, e a consolidação da motivação pode necessitar de extensão de prazo e envio posterior.

Conheça algumas das vítimas

Entre as vítimas de feminicídio deste ano, em Mato Grosso, está a adolescente Ana Luiza, de 13 anos. Ela estava grávida e foi assassinada com golpes de madeira em um terreno baldio pelo ‘ficante’. A garota estava desaparecida há 2 dias, quando teve o corpo localizado, na madrugada do dia 2 de abril, em Sorriso (a 420 km de Cuiabá).

Também em abril Nielly Cristian de Freitas, de 22 anos, foi assassinada com vários golpes de faca, em Tangará da Serra (241 km de Cuiabá). O ex-marido não aceitava o fim do relacionamento e matou Nielly quando ela foi levar o filho do casal para ele ver.

Em Lucas do Rio Verde, Izabel Cristina Zuannazzi de 38 anos, foi morta pelo ex-namorado que conheceu pela internet. Ela morava no Paraná e se mudou para Lucas do Rio Verde para viver com ele, mas logo percebeu o comportamento agressivo e se separou. Ela foi morta quando conversava com a ex-sogra

Aline Gomes de Souza, 20 anos, também foi morta com vários golpes de faca, mas em Cuiabá. Depoimentos de amigas nas redes sociais afirmaram que a vítima aprendeu a se maquiar para esconder as marcas das agressões. O crime aconteceu no condomínio Chapada dos Bandeirantes, no bairro Chácara dos Pinheiros. Um vídeo do condomínio mostra Aline tentou fugir do assassino.

Fonte e foto Repórter MT


Redacao4 de julho de 2020
20200704_225544-1-1280x819.jpg

4min00

Em um vídeo que circula nas redes sociais, Waldir Teis, conselheiro afastado do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT), aparece correndo 16 andares de escada para tentar sumir com cheques que somavam R$ 450 mil, enquanto a Polícia Federal vasculhava seu escritório. 

Teis foi preso na última quarta (1º), acusado de tentar obstruir a Justiça durante a deflagração da 16ª fase da Operação Ararath, no dia 17 de junho.

Segundo o MPF, Waldir Teis teria aproveitado que os policiais estavam concentrados vasculhando uma sala em seu escritório e pegou os talões de cheques para se desfazer. Ele os descartou numa lixeira do prédio, mas, como foi flagrado, os policiais conseguiram recuperar os documentos. O vídeo mostra que Teis foi seguido a todo momento por um policial federal.

Os cheques são de empresas ligadas à organização criminosa que, em tese, é composta por Waldir Teis, entre outros poderosos políticos de Mato Grosso. Os canhotos somam o valor de R$ 450 mil. Apesar de ter sido filmado e flagrado no ato, Teis não pode ser preso na hora, pois goza de foro privilegiado, já que a função de conselheiro é equiparada à de juiz.

O conselheiro foi preso preventivamente na manhã de 1º de julho por causa do ocorrido quando se apresentou à sede da Polícia Federal. O mandado de prisão foi expedido pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Raul Araújo, que impôs sigilo no caso. Mesmo assim, a informação chegou ao conhecimento do conselheiro nesta terça-feira, dia 30 de junho. Nesta manhã, então, antes da Polícia Federal chegar à sua casa, Teis se apresentou à sede.

O mandado de prisão preventiva atende ao requerimento do Ministério Público Federal (MPF), que denunciou o conselheiro afastado por tentativa de obstrução. Além de pedir pela prisão preventiva, o MPF também solicitou que Waldir continue afastado de suas funções até o trânsito em julgado da ação.

O conselheiro afastado deverá ser transferido para o Centro de Custódia da Capital (CCC) para cumprir a prisão preventiva. Até o momento, a defesa de Waldir Teis, patrocinada pelo advogado Diógenes Curado, não se pronunciou sobre o caso.

Fonte: O Estadão de Mato Grosso


Redacao4 de julho de 2020
Screenshot_20200704-203457_Facebook.jpg

3min00

Inaugurada nesta semana, a Penitenciária de Jovens e Adultos de Várzea Grande, batizada de Complexo Penitenciário Ahmenon Lemos Dantas, com 1.008 vagas, já está recebendo detentos transferidos de outras unidades.

A unidade é a maior em capacidade de vagas do Estado. A Penitenciária Central do Estado tem 900 vagas, embora haja ali mais de 2 mil detentos.

O local levou 12 anos para ficar pronto, sendo que durante 10 anos a obra ficou parada. Somente foi retomada em 2017.

A obra ainda custou R$ 28,3 milhões entre recursos do Ministério da Justiça, por meio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e contrapartida do Tesouro Estadual.

Por questões de segurança, informações sobre quantidade de presos e quando eles foram encaminhados para a penitenciária não foram divulgadas. Mas a transferência ocorre aos poucos por conta da pandemia de coronavírus.

O perfil dos presos que chegarão à penitenciária inicialmente é de baixa periculosidade e em cumprimento final da pena.

Além disso, a base do Serviço de Operações Penitenciárias Especiais (SOE) também foi transferida para a nova unidade há pouco mais de 20 dias.

A unidade funciona no início com servidores do administrativo. Eles são oriundos das unidades que foram fechadas em Dom Aquino, Poconé e Rosário Oeste.

HOMENAGEM

A nova unidade homenageia o policial penal Ahmenon Lemos Dantas, que faleceu no dia 15 de maio deste ano, em decorrência de uma parada cardíaca.

Ele foi servidor do Sistema Penitenciário por 20 anos, tendo atuado na Cadeia Pública de Alta Floresta e a Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May. Sua última lotação foi no corpo da guarda da Penitenciária Central do Estado (PCE).

Fonte Mídia News Foto Mayke Toscano/SecomMT


Redacao3 de julho de 2020
Screenshot_20200703-213453_Facebook.jpg

9min00

Dos 2,3 mil presos detidos na Penitenciária Central do Estado (PCE), 600 apresentam sintomas da Covid-19, segundo o juiz da 2ª Vara Criminal de Cuiabá, Geraldo Fidelis Neto.

Geraldo Fidélis afirma que a PCE “será uma enorme usina geradora de covid-19 na Capital do Estado e na vizinha cidade de Várzea Grande”, caso medidas urgentes não sejam adotadas. Na madrugada desta quinta-feira (02), o juiz recebeu a informação que há 600 presos da PCE, dos 2,3 mil, com sintomas respiratórios, ou seja, com suspeita de covid-19. 

Fidélis encaminhou ainda ontem um ofício para as autoridades estaduais e municipais de Cuiabá e Várzea Grande, das áreas de saúde e segurança pública, afirmando que caso “um enérgico protocolo de atenção aos recuperandos da PCE não seja adotado ainda esta semana”, os presos com covid-19 serão soltos, como determina Recomendação do Conselho Nacional de Justiça.

“Todos aqueles positivados com o novo coronavírus poderão ser reinseridos em sociedade e, consequentemente, sob a tutela da rede pública de saúde estadual e municipal, as quais, segundo consta, estão colapsadas. Este final de semana será crucial para se salvar inúmeras vidas e evitar a propagação do maléfico vírus. Não há mais tempo a se perder!”, enfatiza.

A informação que já chegou ao juiz é que dois raios da PCE já foram isolados para os suspeitos de contaminação com covid-19. “Embora a equipe lá existente se desdobre em ações e cuidados, não será suficiente ao atendimento, de modo que, ante a responsabilidade tripartite – União, Estado e Município, todos os órgãos do sistema de saúde deverão mover esforços conjuntos e sistemáticos para o tratamento dos sintomáticos e adoção de estratégias de isolamento e prevenção daqueles que ainda não foram contaminados nas unidades prisionais”.

Fidélis afirma que o sistema penitenciário estabeleceu medidas eficazes de isolamento e protocolos sanitários, evitando que a disseminação do vírus nas unidades ocorresse de maneira massiva, o que deu resultado até esta semana.

O juiz enfatiza que a PCE tem hoje 2,3 mil presos e mais 200 pessoas, entre Policiais Penais e servidores do Sistema Penitenciário, e se não forem adotadas as medidas emergenciais, “em apenas alguns dias, todos os penitentes estarão contaminados”. “E, além deles, os Policiais Penais, servidores do Sistema Penitenciário, equipes de saúde penitenciária e os parentes destes, o que resultará, com toda certeza, reflexos em nossos bairros, pasmem!”.

Fidélis afirma que a reestruturação, com urgência, dos pontos de atenção secundária, e não somente atenção terciária, no atendimento à população privada de liberdade, bem como, a assistência à saúde deve ser prestada intramuros, com a aquisição de medicamentos profiláticos para todos os penitentes, dotação de profissionais na PCE e demais ações terão que ser implantadas.

“Em apenas alguns dias, todos os penitentes estarão contaminados”, alerta o juiz

Veja as medidas determinadas pelo juiz:

I- à Secretaria de Segurança Pública (Secretário Alexandre Bustamante dos Santos) e à Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária – SAAP/SESP (Secretário Emanoel Flores) que convoque os profissionais da área da Saúde lotados no Sistema Penitenciário, tais como, técnicos de enfermagem, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, médicos pneumologistas e infectologistas, a fim de que permaneçam em regime de prontidão, diante de uma eventual imediata convocação de emergência, em regime de plantão, mediante as compensações devidas, visando a promoção de atenção à saúde na Penitenciária Central do Estado;

II – às Secretarias de Saúde Estadual (Secretário Gilberto Figueiredo) e dos Municípios de Cuiabá (Secretário Luiz Antonio Possas de Carvalho) e de Várzea Grande (Secretário Diógenes Marcondes):

1) para que prestem a efetiva assistência medicamentosa aos recuperandos das unidades prisionais desta Capital, onde se encontram pessoas privadas de liberdade das duas cidades;

2) prestem a efetiva assistência médica da rede de saúde, devendo, em caso de necessidade, os gestores estadual e/ou municipal convocar seus profissionais de saúde para permanecer de prontidão;

III – às Secretarias Municipais de Saúde de Cuiabá e de Várzea Grande, que não se abstenham de promover atendimento nas unidades básica de saúde aos casos de Covid-19, confirmados ou sob forte suspeita, das Pessoas Privadas de Liberdade;

IV – a apresentação de um fluxo de atendimento, capitaneado pela Secretaria Adjunta de Administração Penitenciária – SAAP/SESP, mediante a participação das Secretarias de Saúde Estadual e dos Municípios de Cuiabá e Várzea Grande, com indicação precisa das ações tomadas e plano de trabalho dos profissionais da saúde na Penitenciária Central do Estado e demais unidades de Cuiabá, no prazo de 24h;

V – de forma orientativa, ao Conselho da Comunidade da Execução Penal da Comarca de Cuiabá – CONCEP (Presidente Sílvia Tomaz), a adquirir a espécie e a quantidade necessária de medicamentos que os médicos sugerirem, de forma emergencial, inclusive, se for o caso, buscando apoio junto ao Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso e no Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário.

Fonte Repórter MT/Foto: Christiano Antonucci


Redacao15 de junho de 2020
Screenshot_20200615-215624_Facebook-1.jpg

2min00

O juiz Geraldo Fidelis, da Vara de Execução Penal de Cuiabá, afirmou que de 3.074 pessoas em cumprimento de pena em regime fechado em Cuiabá e Várzea Grande, aproximadamente 1.700 tentam liberdade com base em recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para evitar contaminações em massa da Covid-19 no sistema prisional e socioeducativo.

A informação consta em despacho do dia 12 de junho. Os quase dois mil pedidos buscam pela progressão ao regime domiciliar. Ainda segundo Geraldo Fidelis, entre os dias 12 de abril de 2020 e 31 de maio de 2020, a Vara de Execução proferiu 1.064 decisões.
 
A recomendação do  CNJ incentiva magistrados a reverem prisões de pessoas de grupos de risco e em final de pena que não tenham cometido crimes violentos ou com grave ameaça como latrocínio, homicídio e estupro e que não pertençam a organizações criminosas.
 
Geraldo Fidelis é responsável pelo Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), Centro de Custódia da Capital (CCC), Penitenciária Central do Estado (PCE), Presídio Feminino Ana Maria do Couto May e Capão Grande.
 
A Secretaria de Estado de Saúde (SES) notificou, até a tarde de domingo (14), 6.108 casos confirmados por Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 213 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Fonte Olhar Direto

Foto Rogério Florentino Olhar Direto


Redacao14 de junho de 2020
Screenshot_20200614-220732_Facebook-1.jpg

3min00

A primeira noite de fiscalização do cumprimento do toque de recolher em Cuiabá pôs fim a uma festa privada e abordou cerca de 50 pessoas que estavam em bares e restaurantes

Em vídeos, que circularam nas redes sociais, é possível ver como foi o trabalho dos militares e das equipes do município. Um evento privado e clandestino, em uma casa de festas, foi fechado durante a madrugada deste domingo (14), no Parque Geórgia. No registro dá para escutar o militar autuando, baseado no artigo 1268, ao proprietário do local.  Os responsáveis foram multados em R$ 609. (veja abaixo)

Ao  o secretário Municipal de Ordem Pública, coronel Leovaldo Sales informou que foi positivo o resultado da primeira noite de Operação Toque de Recolher. “Cerca de 30 a 50 pessoas foram abordadas e orientadas a ir para casa. O que foi bem recebido”, afirmou o secretário. 

A ação se deu após, o prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB) decretar o toque de recolher de 13 a 28 de junho, quando fica proibida a circulação na cidade de 22h30 às 5h.

Segundo o secretário de Ordem Pública, a primeira noite da abordagem foi um sucesso, a maioria das ações foram em estabelecimentos comercias e, com clientes que estavam nos mesmos. “Não houve prisões, as pessoas foram receptivas e acataram as orientações”, explica Sales. 

Além disso, ele apontou que não houve nenhum incidente durante a ação conjunta da equipe de fiscalização da Prefeitura e da Polícia Militar (PM). 22 equipes trabalharam, dentre a região central, bairros Pedro 90, Popular, Jardim Imperial, CPA 3 e 4.

O secretário rebateu os rumores de suposto abuso de poder e descreveu sua equipe como um corpo de fiscalização altamente profissional. 

A Prefeitura da Capital deve divulgar o balanço da operação ainda neste domingo. 

Fonte Repórter MT


Redacao13 de junho de 2020
Screenshot_20200613-223733_Chrome.jpg

6min00

Com o toque de recolher que se inicia neste sábado (13), a partir das 22h30, em Cuiabá, a cidade deverá ser mapeada por barreiras de fiscalização. Para o cumprimento do decreto, agentes da prefeitura devem contar com o apoio da Polícia Militar. Conforme prevê o decreto estabelecido pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), esta semana, diversas pastas vão atuar com grande rigor também nos bairros da Capital. Os que fugirem às determinações poderão ser conduzidos a delegacia, pagarem multa e ter o estabelecimento fechado, no caso do comércio.

O secretário de Ordem Pública, coronel Leovaldo Salles, falou de como será a atuação da fiscalização, durante entrevista nesta manhã de sábado e o rigor do trabalho. “Aqueles que forem encontrados descumprindo a medida receberão orientação e havendo a explícita resistência poderá ser feita a condução à delegacia. Igualmente, a partir das 22h30 estão suspensas todas as atividades comerciais e os eventos sociais”, revela.

A fiscalização não visa prender as pessoas, mas quando houver explícita resistência poderá ser feita a condução à delegacia. O estabelecimento que for flagrado funcionando pode ter penas que variam de uma multa no valor de R$ 609 até a suspensão do funcionamento. Já estão sendo instaladas barreiras fixas pela cidade, operadas pela Secretaria de Mobilidade Urbana e suas equipes móveis que irão receber as denúncias que vierem do Ciospe.

Em decreto, ficou determinado que o toque de recolher não visa penalizar as pessoas com multas ou prisão, mas funcionará com e propósito de proteger a saúde pública. “Penso que não havendo circulação de veículos e a prática comercial, as pessoas que moram nas ruas também não tem nenhum motivo para circularem pelas ruas”, comenta Salles.

Festas clandestinas poderão ser denunciadas para o Centro Integrado de Operações pelo 190, que serão atendidas por um servidor especificamente que repassará para as equipes de fiscalização. “Os pontos que vamos oferecer maior atenção são exatamente aquelas regiões que no período antes do toque de receber recebeu maiores denúncias ou onde segundo a vigilância sanitária acreditar que haverá maior número de contaminações”, acrescenta.

Secretaria de Ordem Pública, Secretaria do Meio Ambiente, Secretaria de Mobilidade Urbana e, agora, como parceiras a Secretaria de Assistencia Social e a de Comunicação Social.

Os veículos de delivery já são entendidos pela prefeitura como os de serviços essênciais e, segundo o secretário, eles terão excessões.

Entre as novas recomendações, seguem previstas as normas:

 A partir das 22h30 estão suspensas todas as atividades comerciais e os eventos sociais, com a proibição de circulação das pessoas! O estabelecimento que for encontrado em desobediência será autuado e enquadrado pela infração de causar risco a saúde pública (lei 004/92), com a pena que varia de uma multa de R$ 609 até a suspensão da atividade comercial;

O Plano de Ação prevê a intensificação da fiscalização nos bairros que até agora apresentaram maiores números de denúncias por descumprimento das medidas baixadas pelos decretos anteriores, e tbem nas regiões de maiores incidências de contaminação. Toda a operação será realizada por meio de força-tarefa das secretarias de Ordem Pública, Mobilidade Urbana e Meio Ambiente. Com apoio da Polícia Militar através do Termo de Cooperação entre o município e a secretaria de segurança pública do Estado.

 Uma cabine no Ciosp para atendimento às denúncias por meio do 190;

MPE foi oficializado do início das ações, assim como à Secretaria de Segurança Pública, Comando Geral da Polícia Militar e Polícia Judiciária Civil.

Fonte RDNews/Foto Reprodução


Redacao11 de junho de 2020
20200611_220356-1.jpg

7min00

Um perfil no Twitter chamado “Exposed Rio Branco” ganhou centenas de visualizações e comentários nos últimos dias, após denúncias de garotas contra um coronel da Polícia Militar do Acre por assédio. Ele nega a acusação.

Em uma das postagens, uma mulher divulgou a foto do carro que seria do coronel Elissandro do Vale e relata que ele abordou uma amiga dela que teria 15 anos e pediu o número de telefone da garota. O perfil do coronel no Facebook chegou a ser compartilhado por uma das mulheres, mas depois foi excluído da postagem. O mesmo perfil também foi retirado do ar.

O comandante-geral da PM-AC, coronel Ulysses de Araújo, informou que tomou conhecimento das denúncias na terça-feira (9) e que determinou que fossem encaminhadas à Corregedoria da Polícia Militar para apuração. “Estou em Cruzeiro do Sul, mas tomei conhecimento ontem [terça, 9] à noite e já determinei ao nosso subcomandante que mandasse toda documentação para a Corregedoria para que sejam apurados os fatos e tomadas as providências necessárias”, afirmou o comandante.

Abaixo da publicação, outras mulheres relataram terem sido vítimas da mesma pessoa. A hashtag #exposed tem sido usada em denúncias de abusos e assédio feitas por mulheres. “Se alguém for abordada por esse homem por favor peça ajuda e denuncie imediatamente para que não aconteça com outras meninas. Isso é assédio e pedofilia e é crime! Não estamos seguras”, publicou.

Ao G1, o coronel negou que tenha cometido assédio e diz que “é normal” um homem solteiro abordar e conversar com uma mulher. Em janeiro do ano passado o coronel foi nomeado para trabalhar no gabinete do governador do Acre. “Qualquer pessoa pode tirar foto de um carro e colocar expondo essa pessoa. Se me perguntar: ‘em algum momento você já falou com alguém em algum lugar? Claro’. Eu sou um ser humano como qualquer outro e posso falar com qualquer pessoa em qualquer lugar. Qualquer homem pode falar com qualquer mulher, não significa que você está querendo namorar essa pessoa, você pode conhecer”, disse o coronel.

Ainda na página, foi postado um vídeo, gravado pela menor de 15 anos, que mostra o momento em que é abordada pelo homem, que seria o coronel, e mesmo ela dizendo a idade, ele insiste em conversar.

Nas imagens, o rosto do homem não aparece, mas pela voz ele foi identificado por outras mulheres. No vídeo, ele pergunta se a menina já namorou e diz que não tem problema ela passar o contato para ele. O homem diz ainda que “seria errado se ela tivesse 13 anos”.

Em um comentário abaixo do vídeo, uma mulher diz que identificou o homem pela voz. “Caramba eu sei quem é esse homem, identifiquei pela voz, o carro e por ser advogado. Ele parece um caçador de meninas novinhas, sim, caçador, ele parece um doente”, disse.

Apesar de algumas meninas alegarem que ele se identifica também como advogado, o coronel não possui OAB. Outras relatam que ele faz esse tipo de abordagem há anos, inclusive próximo a escolas. Uma das mulheres cita ainda que o homem é conhecido como “sede de amor”.

O coronel não confirmou que se trata dele no vídeo, mas disse não ver problema em conversar com uma menina menor de idade. “Eu posso conhecer, eu não posso é me envolver”, declarou.

O militar ainda se defendeu dizendo que as pessoas estão criando uma situação que, segundo ele, não existe. Ele afirmou ainda que ao falar com uma mulher não tem como saber se ela é menor ou não e que, mesmo ao saber, isso não seria errado. “As pessoas em geral querem execrar, criar uma situação onde não existe. Se a pessoa não quer: ‘tá bom, beleza’. É uma conversa para fazer amizade, não significa que tenha que ter alguma coisa. Você não tem como saber se essa pessoa é menor ou não. Se bem que, você acha que é proibido falar com a pessoa? Se a pessoa disser ‘ah, eu tenho 17 anos’. Então, ‘opa eu não posso falar com você’. O que fica no ar é que uma pessoa não pode falar com outra, porque ela tem 17 anos, como se fosse proibido”, afirmou o coronel.

Fonte G1


Redacao30 de maio de 2020
images-2020-05-30T222346.722.jpeg

2min00

Um homem foi preso em flagrante na noite desta quinta-feira (28), após tentar roubar e estuprar uma idosa de 70 anos, no bairro Lixeira, em Cuiabá. A vítima conseguiu evitar o ato sexual após dar uma paulada no bandido.

Ao registrar o boletim de ocorrência, a vítima relatou que foi surpreendida pelo suspeito dentro de sua residência.  Segundo ela, o rapaz tentou enforcá-la e ambos entraram em luta corporal.

Em seguida, o suspeito fugiu e ela o atingiu com um pedaço de pau. “Ele estava na porta dentro de casa. Ele tentou me estrangular, veio pra cima de mim, me agarrando, me pegando, eu consegui lutar contra ele. Todo mundo falou que eu fiz besteira em lutar com ele mais eu tinha que salvar minha vida. Quando ele saiu eu catei um pedaço de pau e soquei nele”, diz a vítima.

A idosa pediu a ajuda da filha que acionou um amigo policial para prender o criminoso. “Eu tava na cozinha, quando minha mãe gritou falando que tinha um homem dentro da casa, eu sai correndo, logo em seguida, ele saiu e ainda assaltou uma mulher e tomou um celular dela. O pessoal conseguiu pegar ele”, explicou a filha.

A guarnição policial prendeu o bandido próximo a residência enquanto praticava outro assalto. Diante da situação o rapaz foi encaminhado para Delegacia Especializada de Roubos e Furtos da Polícia Civil.

Fonte Folhamax

Foto Ilustração

 


Redacao29 de maio de 2020
Screenshot_20200529-214322_Chrome.jpg

3min00

Quatro policiais militares que participaram da ação que resultou na morte do soldado Ricardo Ferreira de Azevedo, de 36 anos, nessa quinta-feira (28), no Bairro Baú, em Cuiabá, foram afastados e estão sendo investigados Corregedoria Geral da Polícia Militar. O policial foi confundido com um criminoso e foi atingido por tiros disparados por um colega.

 

Em nota, a Polícia Militar informou que os quatro investigados formavam a equipe da Força Tática envolvidos no episódio e que a Corregedoria, na investigação em âmbito administrativo, está reunindo investigatório depoimentos, perícia, fotos, vídeo, entre outros elementos.

 

Azevedo atuava no Serviço de Inteligência e, por causa disso, não costumava usar farda. Estava atuando no levantamento de informações sobre roubos, furtos e tráfico de droga.

 

Segundo a PM, a equipe do solado estava ajudando a Rotam (Ronda Ostensiva Tático Metropolitana) em busca de supostos criminosos que estavam em uma moto na região.

 

Logo depois que chegaram ao posto de combustível que fica no cruzamento das avenidas Rubens de Mendonça e Mato Grosso identificaram uma moto com as mesmas características da informada pela equipe da Rotam.

 

Em seguida, chegou ao local uma equipe da Força Tática que viu a ação realizada pela equipe do soldado Azevedo e que não identificou que se tratavam de policiais militares e atirou na vítima.

 

Ele foi encaminhado ao Hospital Municipal de Cuiabá, onde passou por uma cirurgia e morreu.

 

A PM esclarece que por se tratar de uma situação decorrente do exercício da atividade policial, com ambas as partes policiais militares, ou seja, de crime militar, a apuração ocorre no âmbito Polícia Judiciária Militar, por meio da Corregedoria.

 

A PM disse que o sepultamento seguirá as medidas de distanciamento social por riscos de contaminação pelo coronavírus e será no final da tarde desta sexta-feira (29), no Cemitério Parque Bom de Cuiabá.

Veja vídeo:

 

Fonte Voz MT

Foto Reprodução