Categoria: Polícia

Redacao2 de julho de 2021
Screenshot_20210702-223356_Facebook.jpg

1min00

Uma jovem de 20 anos foi estuprada por um homem que conheceu pela internet. O crime ocorreu no primeiro encontro dos dois. A vítima teve sangramentos por sete dias por conta da violência sofria e foi atendida por médicos do Hospital Júlio Müller. O caso foi registrado em maio, em Cuiabá, mas só vei à tona agora.

De acordo com informações, a jovem conversava com um rapaz por alguns meses por um aplicativo de mensagens e os dois resolveram marcar um encontro pessoalmente.

Eles combinaram de ir até uma lanchonete sugerida por ele. Durante o trajeto, o homem desviou o caminho e a levou até um motel da Capital, onde ocorreu o estupro.

A mulher procurou o Plantão 24 horas da Delegacia da Mulher, onde o caso foi registrado.

O crime é investigado pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cuiabá (DEDM).

 

Fonte Repórter MT/ Foto Reprodução


Redacao2 de julho de 2021
Screenshot_20210702-222956_Facebook.jpg

1min00

Um policial civil morreu dentro um motel em São Bernardo do Campo (SP), localizado na avenida Piraporinha, número 22, no bairro do Planalto, por volta das 7h desta sexta-feira (2). A suspeita é que ele tenha sofrido um mal súbito.

De acordo com a sala de imprensa da Polícia Militar, o agente estava em um quarto com 11 mulheres, quando passou mal. O SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado e constatou o óbito no local.

O caso foi registrado no 3° Distrito Policial de São Bernardo do Campo como morte natural. O corpo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) da região.

Fonte Repórter MT Foto Reprodução


Redacao1 de julho de 2021
Mulher-queimadura-festa-Junina-636x420-1.jpg

2min00

Uma mulher de 35 anos teve queimaduras graves na perna e no braço ao ser jogada em uma fogueira de festa junina pela amante do marido. O episódio aconteceu no domingo (27) à noite, durante uma festa na zona rural de Dom Aquino (172 km de Cuiabá). 

Conforme a Polícia Militar, o crime ocorreu após uma discussão entre o marido da vítima e uma mulher que seria a suposta amante. A vítima disse à polícia que teria descoberto que ambos têm um caso amoroso. 

Com raiva pela situação, ela foi cobrar explicação da suposta amante, uma mulher de 39 anos. Então, foi garrada pelos braços pela rival e jogada na fogueira.  

Ela foi socorrida por populares, que chamaram a PM. Conforme relatos no boletim de ocorrência, o marido não tentou retirar a mulher da fogueira, mesmo aos gritos com pedido de ajuda.  

A vítima foi levada para o hospital Bom Jesus, em Dom Aquino. 

Não há informação no boletim de ocorrência sobre a situação de saúde da vítima. O marido e a amante foram presos e levados para a Central de Flagrantes. Eles devem responder por lesão corporal e omissão de socorro. A Polícia Civil assumiu a investigação. 

Fonte: O Livre / Foto: Reprodução 


Redacao1 de julho de 2021
7029f275742494e7b0022d095e5fd3fd.jpg

1min00

Mulher acusada de agredir a companheira, de 65 anos, foi presa nesta quarta-feira (30). A prisão foi realizada na região central de Cuiabá, pela Patrulha Maria da Penha.

Segundo informações da guarnição que atendeu a ocorrência, a denúncia foi registrada pelo 190, que relatava a agressão a uma senhora que pediu ajuda em um salão de beleza. Ela apresentava lesões na cabeça e no rosto e foi encaminhada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) a um hospital.

A equipe disse ainda que ela estava sem condições de falar sobre o ocorrido. Porém, testemunhas que conhecem o casal relataram que a idosa é agredida constantemente pela companheira.

Em diligências, a acusada foi encontrada e detida. Ela era monitorada por tornozeleira eletrônica.

Fonte: Folhamax / Foto: Reprodução 


Redacao1 de julho de 2021
314333ea88942a32be75fce176303d66.jpg

2min00

A Polícia Civil prendeu, nesta terça-feira (29), o autor do assassinado de Saulo Daniel Alves dos Santos, de 30 anos. Após matar a vítima com golpes de facão e esquearteja-la, o acusado enterrou o corpo de Saulo. O crime aconteceu no município de Santa Terezinha, região Norte Araguaia, na última sexta-feira (25).

De acordo com informações da Polícia Militar, as equipes receberam diversas informações sobre os possíveis autores do crime. Em diligências, a equipe policial localizou o suspeito, W.B.F., que acabou confessando a autoria do crime. Segundo o suspeito, a vítima teria furtado R$ 50 de sua carteira e quando ele percebeu, foi até a beira do rio, onde Saulo fazia o uso de entorpecentes e o questionou sobre a quantia. O jovem afirmou que não devolveria o dinheiro e os dois entraram em luta corporal.

O suspeito golpeou a vítima várias vezes com um facão, o que causou diversos furos. Em seguida, degolou, cortou suas duas pernas e a barriga. Após o fato, ele foi até sua casa, onde trocou suas roupas sujas de sangue, pegou uma pá e um enxadão e levou até o local do assassinato. Lá, cavou uma cova e jogou o corpo de Saulo.

O jovem estava desaparecido desde a sexta-feira (25), quando saiu de casa durante a tarde e não retornou. O autor do crime confessou que assassinou Saulo naquele mesmo dia.

O homicida foi preso e os objetos utilizados no crime foram apreendidos. A Polícia Judiciária Civil investiga o crime.

Fonte: Folhamax / Foto: Reprodução 


Redacao30 de junho de 2021
0f12eeb6ff3af26c592232873aff891e.jpg

3min00

Indiana Geraldo Tardett, 42 anos, encontrada morta no dia 31 de maio, no bairro Parque das Emas II, em Lucas do Rio Verde (330 km de Cuiabá), foi assassinada durante falso ritual de magia praticado por um casal ‘conhecido’ e encomendado pelo ex-marido, 48.

A vítima foi encontrada no quarto, com a cabeça enrolada em um cobertor, deitada sobre um lençol branco com os pulsos e o pescoço cortados, uma lesão na cabeça e uma faca em uma das mãos para simular um suicídio.

Na sexta-feira (26), a Delegacia de Lucas do Rio Verde deflagrou a Operação Encruzilhada para cumprimento de mandados de busca e apreensão e de prisão contra os alvos da investigação.

A mulher, nome não divulgado, que é uma das executoras do homicídio, foi presa pela polícia. O comparsa e o mandante do crime não foram encontrados e são considerados foragidos.

A vítima teve um relacionamento durante cinco anos com o ex e estava separada dele à época do crime.

ntenda o caso

No dia 1º de junho a filha vítima procurou a Delegacia da Polícia Civil informando que não estava conseguindo contato com a mãe desde o domingo, 30 de maio.

Então, as investigadoras do Núcleo de Atendimento da Mulher foram até a residência de Indiana e verificaram que o veículo dela estava estacionado na garagem e a porta apenas encostada.

Ao entrar na residência, a equipe policial encontrou o corpo de Indiana no quarto.

Diante do cenário encontrado, o delegado instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias da morte e com as informações coletadas no decorrer da investigação foi constatado a tentativa dos acusados em fraudar o local do crime simulando suicídio.

Os investigadores, com ajuda da perícia, verificaram que o ex-marido de Indiana foi o mentor de toda ação, contratando um casal conhecido da vítima para executar o crime.

Para atrair a mulher e impossibilitar qualquer forma de defesa, os assassinos simularam que fariam um ritual de magia com ela, momento que indiana foi morta com um golpe certeiro na cabeça, que pela posição, evidencia que ela possivelmente estava de joelhos quando recebeu o golpe.

Com o objetivo de confundir a polícia, os envolvidos cortaram os pulsos e pescoço da vítima e deixaram a faca na mão do cadáver para tentar simular um suicídio.

O delegado Eugênio Rudy representou pela prisão temporária dos envolvidos.

Buscas foram realizadas em Campinas (SP), Cuiabá e Lucas do Rio Verde pelo paradeiro dos fugitivos.

Fonte: RepórterMT / Foto: Reprodução 


Redacao30 de junho de 2021
bee21ba9b4aab18a5362ae8c2644bdbb-1.jpg

3min00

Um garoto de 7 anos de Taiwan que, em abril, foi jogado 27 vezes no chão em uma aula de judô, morreu na terça-feira (29). A identidade do garoto não foi revelada.

Ele sofreu uma hemorragia cerebral depois da aula de judô. No treino, ele foi jogado no chão tanto pelo professor como por colegas.

O menino entrou em coma e começou a respirar com a ajuda de aparelhos. Depois de 70 dias, os pais decidiram desligar os aparelhos.

O tio do menino estava presente na aula —ele gravou um vídeo porque queria provar para a mãe do garoto que ele não tinha condição de praticar judô.

 No vídeo, há imagens do garoto gritando ao ser jogado no chão por outros meninos mais velhos. O técnico manda ele se levantar e diz para os outros meninos continuarem a derrubar o garoto. Depois, o próprio técnico faz isso. O menino desmaia. Segundo os familiares, o técnico afirmou que ele estava só fingindo.

Mais tarde, soube-se que o professor não tinha autorização para dar aulas.

O professor tem quase 70 anos. Ele foi processado por agressão física que resultou em danos sérios e também por ter empregado um menor de idade para cometer um crime, segundo a mídia local.

Ele chegou a ser preso, mas saiu com o pagamento de uma fiança de US$ 3.583 (cerca de R$ 18 mil).

Se for condenado, estará sujeito a uma pena de pelo menos 7 anos de prisão (a pena máxima é prisão perpétua).

Fonte: RepórterMT / Foto: Reprodução 


Redacao30 de junho de 2021
89f5d5e05adcd9fa7ec59ad6cbfaf1c9.jpg

3min00

A empresária Nádia Mendes Vilela, de 33 anos, baleada pelo ex-namorado, o jornalista José Marcondes Neto, o Muvuca, apresentou melhora em seu quadro na manhã desta quarta-feira (30). Ela segue internada no Hospital Santa Ângela, em Tangará da Serra (244 km de Cuiabá).

 

De acordo com o último boletim médico emitido pela unidade de saúde, ela já respira sem a ajuda de aparelhos. “Lúcida, orientada e verbalizando normalmente”, diz parte do documento.

 

Nádia já está conseguindo realizar as refeições por via oral.

 

Apesar da melhora clínica apresentada nos últimos dias, a empresária não tem previsão para receber alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) devido à gravidade das lesões iniciais.

Nádia teve o tórax perfurado em duas partes, uma lesão próxima à região cervical e a mão esquerda estilhaçada.

 

Ao chegar na unidade, ela foi submetida a procedimentos para contenção do sangramento, assim como para a colocação de drenos na região do tórax. Ela também passou por uma cirurgia na mão para a fixação da fratura.

 

O crime

 

O crime aconteceu na manhã de segunda-feira, quando Muvuca foi até a farmácia da ex-namorada, que fica na Avenida Tancredo Neves.

Ele não aceitava o fim do relacionamento e tentava reatar com a ex.

Após uma discussão, ele atirou em direção à Nádia e, em seguida, deu um tiro em sua prória cabeça.

Ele chegou a ser socorrido, passou por cirurgia, mas não resistiu e morreu na noite de segunda.

A Polícia Civil informou que não há, ao menos em Tangará da Serra, registro de alguma queixa de agressão ou ameaça da empresária contra o jornalista.

Foto: Reprodução / Fonte:  Midia News


Redacao29 de junho de 2021
b4e692a1c4e3fdc7e7239283621c21c3.jpg

1min00

Um idoso de 73 anos, nome não divulgado, foi preso durante operação da Polícia Civil na manhã desta terça-feira (29) acusado de cometer estupro qualificado contra duas adolescentes em Barra do Bugres (168 km da Capital).

O acusado ainda é investigado por abusos sexuais contra crianças da vizinhança.

O Conselho Tutelar denunciou o idoso à polícia, o que deu início à apuração do caso.

De acordo com as investigações, o idoso contratava as adolescentes para trabalhar em serviços domésticos em sua casa, quando conseguia atrair as vítimas e facilitava na execução do crime. Duas garotas de 14 anos já foram identificadas como vítima do pedófilo.

Quanto às crianças, o estuprador abordava enquanto brincavam na rua e atraia para casa oferecendo doces e dinheiro.

Diante das informações coletadas, o delegado Rodolpho Bandeira representou pela prisão preventiva do idoso, que foi deferida pelo juízo da 3ª Vara Criminal de Barra do Bugres e cumprida nesta manhã.

O caso segue em investigação.

Fonte: RepórterMT / Foto: Reprodução


Redacao29 de junho de 2021
b65983b65cebc6acc94f346dccd4b268.jpg

2min00

Imagens das câmeras do circuito interno de segurança da farmácia de Nádia Mendes Vilela, 33 anos, no Centro de Tangará da Serra (239 km da Capital), mostram a empresária ‘engatinhando’ pelo estabelecimento para salvar sua vida após ser alvo de quatro tiros disparados pelo ex, o jornalista José Marcondes, “Muvuca”, na manhã dessa segunda-feira (28).

De acordo com a gravação, Muvuca entra no estabelecimento enquanto Nádia está atendendo um cliente. Ele aguarda até que o homem saia.

Em seguida, eles trocam umas palavras, ela faz sinal de ‘não’ com o dedo e pede que ele aguarde, mas ele invade e vai para uma sala nos fundos e Nádia o acompanha.

Muvuca senta numa cadeira e a vítima se mantém em pé. Os dois começam a conversar e se desentendem, momento em que ele se levanta e Nádia se vê desesperada, por um instante tenta segurar o ex, mas ele saca a arma, momento em que teria efetuado o primeiro disparo.

Nádia corre, ele a segue e faz novos disparos. A empresária foi atingida por mais três tiros.
Para se salvar, a empresária atravessa a farmácia engatinhando até chegar na rua, onde recebeu ajuda de populares.

Cerca de 5 minutos após Nádia ser retirada da farmácia a Polícia Militar (PM) chegou e em seguida o resgate, quando encontraram Muvuca baleado ainda no interior da farmácia. Ele foi socorrido com vida, mas morreu poucas horas depois na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município.

De acordo com o vídeo, toda a ocorrência, da chegada de Muvuca à farmácia até o resgate do jornalista, durou cerca de 17 minutos.

Veja o vídeo do site Gazeta Digital

Fonte: RepórterMT / Foto: Reprodução